Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

91 daysAnálise de Animesresenharesenha críticaReview

Review: 91 Days (2016) - Uma Vingança, Uma Vida em Vão


OBS: Essa análise possui spoilers.

Sinopse
"O nome do homem é, Avilio. Um homem cuja família foi morta. Por vingança, ele vai matar o seu amigo."

Análise
91 Days veio com a premissa de uma animação diferente do convencional, com uma história muito mais madura e atmosfera bem mais pesada e tensa em seu redor, os créditos inicias  - em sua estreia -  descendo como em filmes Hollywoodianos do mesmo gênero são a prova disso. Angelo (Ou Avilio Bruno) tornou-se um homem totalmente frio pela morte de seus pais e dedicou sua vida, quer dizer, o motivo dela, em vingar-se dos 4 homens que fizeram a matança.



A estratégia fora do comum de virar amigo de Nero, - o mais novo a participar do assassinato e também o que errou o tiro que mataria Angelo - foi arriscada desde o início, e como já era mostrado na abertura, dava para perceber uma possível hesitação do protagonista em querer atirar no seu novo amigo, e assim foi. O desenvolvimento do anime ocorreu de forma com que Angelo fosse o homem mais frio e antipático que ali poderia estar presente. A direção fez questão de humanizar todos os outros personagens, até mesmo Nero com a morte de seu amigo Vanno logo no início do show com aquele grande twist. Era alarmante a forma com que todos os que Avilio queria eliminar eram humanizados e simpatizados, mas o mesmo era o mais frio, e o mais imprevisível. A direção do anime também era seca no geral, simplesmente não colaborava em tentar fazer um impacto forte nas cenas, meramente aconteciam de maneira insípida. Isso foi algo ruim? Para alguns sim, mas tudo foi parte do show; Fazer com que você tenha ódio e desinteresse pelos desejos do protagonista ao mesmo tempo em que acaba tentando alguma empatia pelos verdadeiros vilões (ou ao menos os preexistentes).

O quarto capítulo foi o mais diferente de todos; Uma tentativa de fazer o anime mais divertido, animado e aventureiro. Foi o único episódio em que realmente deu para ter alguma empatia pelo protagonista, mas principalmente por Nero. A ost e aquele vilão presentes deixaram os acontecimentos muito cômicos e diferentes do habitual, foi estranho mas acabou rápido. Já a segunda parte em geral redirecionou o desenvolvimento da vingança de Angelo ao fim, cujo o levou a sacrificar seu amigo de infância Corteo para tal realização; Chegou a hesitar um pouco, mas novamente foi frio no que fez, e tendo em vista a vingança como única razão de viver já sabia que logo depois de sua conclusão iria encontrar-se com seu amigo no "outro lado". Amigo este que antes enlouqueceu trazendo mais um grande twist na hora de espancar o Fango até não dar mais, foi particularmente satisfatório. 



O episódio 11 foi o mais impressionante: Angelo não matou Nero pois queria fazer ele viver a angustia de ver toda sua família destruída igual foi consigo. Planejou uma catástrofe total para os Vannetis que perderam tudo que tinham e logo depois, como esperado, perdeu totalmente o motivo de viver. O último episódio mostra sua ida com Nero para o mar. A discussão gerada entre eles foi muito interessante, uma vez que Avílio diz a Nero que, se ele não tivesse errado o disparo naquele noite a anos atrás, nada disso teria acontecido no momento presente. A parte final enganou muita gente que pensou que era a morte de Angelo. Foi algo questionável, mas ficou indiretamente mostrado que Nero errou o disparo propositalmente e o largou ali, pois sabia que havia um homem de carro indo atrás dele para resolver as contas, então de certa forma poupou seu amigo (não matando com suas próprias mãos e desejando "seja que Deus quiser", para ele tentar não morrer pro outro homem). 

A direção do anime como já dito, foi fria e fez questão de colocar-nos de certa forma contra o protagonista. As músicas nos momentos dramáticos e na hora dos twists foram fenomenais (Como exemplo, a música clássica tocando no teatro enquanto os assassinatos aconteciam), o tema de abertura encaixou-se muito bem também, tornando o clima ainda mais emotivo, e por fim a ending que trouxe uma música encantadora. O roteiro da história foi bem escrito, com certeza um grande mérito da staff em fazer uma história original. A animação não exigia muita coisa, mas a inconsistência foi aumentando tanto ao decorrer dos episódios que em alguns momentos eu me sentia assistindo Yu-Gi-Oh.


.Mas ainda assim, de alguma maneira, teve alguns momentos de glória.



Conclusão
91 Days é uma história sobre vingança; A mais fria delas. Cheio de twits e com um enredo bem estruturado a história te leva até o final sempre com um pé atrás com em relação do que irá acontecer. O final pode ter sido revoltantes para alguns, mas não foi ruim.

Direção: 5/10
Roteiro: 8/10
Produção Visual: 4/10
Soundtrack: 9/10
Entretenimento: 8/10

Bottom Ad [Post Page]