Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Análise SemanalAnálise Semanal Shuumatsu no Izettaresenharesenha críticaShuumatsu no Izetta

Análise Semanal: Shuumatsu no Izetta #11


Um episódio mais focado em explorar os personagens e os seus respectivos papeis na trama, além de contextualizar o clímax do ultimo episódio!

Clique aqui para ver a análise dos episódios anteriores de Shuumatsu no Izetta

O episódio se inicia de forma a apresentar a situação de alguns personagens-chave para a trama e a situação, no qual, ele está situado. Dentre esses personagens, o que demonstrou o maior impacto foi o Berkman, isso se deve pela situação dele ter mudado da aguá para o vinho,se tornando um ponto de reviravolta na trama. A forma que ele traiu o seu país trouxe um ponto de reflexão (que aparece na obra de tempos em tempos de forma inconstante), e essa base trouxe uma dualidade que já estava sendo trabalhada no decorrer da construção da trama. O conflito do Sieghart e Berkman visava colocar dois personagens um de cada lado da guerra e apresentar as bases ideológicas conflitantes entre eles, trazendo uma critica ao patriotismo.



 A constituição do episódio foi voltada a "desenvolver" personagens, exceto a Izetta, porque quando você acha que ela está progredindo e vai sair da estaca zero tendo um papel na obra que não seja apenas nas cenas de ação, com diálogos decentes e uma personalidade mais presente(como na cena em que ela da um tapa no rosto da Finé). O anime te joga a cena da Finé e a Izetta voando na vassoura, toda a oportunidade de construir algo em cima da critica que ela fez a Finé e mostrar qual é a sua própria ideologia ou até mesmo a sua visão sobre a situação que elas encaram é jogada fora, dando lugar a um dialogo que visa pedir a Izetta que ela use o nome da arquiduquesa e não uma nomenclatura. Por outro lado, a Finé tem sido melhor trabalhada, e isso se deve não só pela sua personalidade mais forte e o impacto que ela sofre do ambiente que a cerca, mas por todas as situações que ela passa gerarem um conflito ideológico sobre ela, se mostrando uma personagem mais viva e orgânica, se comparada com a Izetta. 



E por fim o desenvolvimento da trama que ouve no episódio. Todo o movimento dado dentro da trama principal foi devido a atitude do Imperador Germânico de utilizar o poder da bruxa Sophia e das armas desenvolvidas(que seriam algo semelhante a bombas nucleares) para forçar um "tratado de paz" que visa explorar os recursos que esses países vão oferecer para não serem atacados por essas armas do Império Germânico. Depois dessa atitude os que sobraram em Eylstadt vão tentar se infiltrar nessa "cerimonia do tratado de paz", visando parar o impeto germânico e evitar que o pior aconteça . Sendo bem sincero o anime parece que vai acabar em arco-iris, amiguinhos e paz para todos,isso se deve pela mudança de teor que a obra sofreu, os últimos episódios transpareciam que a obra iria acabar de forma trágica, mas o rumo que a trama está tomando pode gerar essa quebra de expectativa com um final ideal sem sentido, que quebraria toda a construção proposta na obra. Só nos resta aguardar pelo fim, torcendo para não acabar de forma clichê e simples!

Extras:

Os soldados do Império Germano foram apresentados de uma forma bem fidedigna se comparados com os nazistas, essa cena ilustra bem a forma de agir dos soldados e a mentalidade que se sobressai nessa hierarquia.



Os olhos da Finé contextualizam bem o seu estado físico e mental, a forma que o personagem reage aos acontecimentos a sua volte e o impacto que ela sofre do mesmo é excelente ponto do roteiro da obra.



Não basta entregar todos as informações da pesquisa de armas e da bruxa, ainda tem que corroborar com os planos do "inimigo". Berkman é de longe o personagem melhor construído dentro da obra, ele resume perfeitamente qual é a mentalidade do seu país.



***

Bottom Ad [Post Page]