Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Análise SemanalAnálise Semanal Youjo Senkiresenharesenha críticaYoujo Senki

Youjo Senki #2 | Análise Semanal


Como havia previsto na análise da estreia, lá no Primeiras Impressões, usaram esse segundo episódio de prólogo para mostrar como o protagonista virou "a", como foi parar nesse lugar e conseguiu subir tão rápido de patente no exército - embora para essa última já tivessem motivos mais previsíveis.

--

Antes de começar a falar sobre o episódio, Youjo Senki ganhou quase de lavada a votação que criei tanto aqui no blog como no Twitter para saber qual anime eu deveria comentar semanalmente. Kuzu no Honkai empatou com ACCA 13 em seguida, talvez no meio da temporada - ou em algum outro momento oportuno -  eu faça uma análise de algum. O Tohno possivelmente pegará um desses dois para analisar semanalmente.
--

O motivo por trás disso tudo foi bem curioso para mim. Tanya era um homem (estranho dizer isso) sistemático e persuasivo - da mesma forma como no outro mundo, que só acreditava que indo bem e seguindo com as ordens do seu trabalho tudo iria dar certo e sua vida seria boa o suficiente, sem nenhum tipo de necessidade para crenças e fé. Esse seu motivo de ser tão lógico e cabeça fechada o suficiente para nem ao menos ter tolerância com alguns conceitos de vida são fáceis de acreditar se colocadas no mundo real; Não é difícil duvidar que existem japoneses assalariados tão vidrados no trabalho e em ganhar dinheiro que nem ao menos conversam direito com a família ou possuem personalidades mais gentis com cabeça aberta; Em muitos animes por aí é fácil encontrar esse tipo de representação também. 


A direção teve uma tamanha criatividade em trabalhar a pausa do mundo ao redor na hora de sua morte, com uma "divindade" conversando com ele através dos seres vivos ali presentes. E chega até ser engraçada a proposta em que essa tal divindade acredita que ele ganhará alguma fé quando passar por más perrengues quando jogada em um mundo paralelo para sofrer. 

A passagem desde seu nascimento até a parte em que ela treinou soldados e foi para missões ficou boa, ainda que soe muito estranho um feito desses realmente ter acontecido, porém isso também acaba sendo explorado. Ela claramente é mais poderosa que o habitual nesse mundo por culpa da tal divindade que concedeu habilidades melhores a ela, fazendo que ela acabasse sendo obrigada a ir ao exército, como rege nas leis do local. É engraçado que por ter apenas nove anos todo mundo estranha a garota no exército, e não só isso mas como ela também aparenta dar medo nos próprios cabos mais velhos. O que é estranho é a forma como ela se comporta em alguns momentos, as vezes ela aparenta muito obediente e racional, mas logo depois no clímax da cena ela já fica louca e vai pra cima (literalmente) dos inimigos.


Aquela batalha na parte final do episódio foi bem dirigida e coreografada, se saíram muito bem com aquela animação que conseguiu ser mais do que simplesmente mediana mesmo com pouca verba, e foi hilário a Tanya reclamar de quererem que ela vá para a linha de frente, isso ajudou a dar mais empatia pela personagem.

Avaliação: ★ ★ ★ ★ ★ (+++)

Extras


Eu ri muito com isso, auhauahuauuha


Novo estúdio de ex-trabalhadores da Madhouse fazendo propaganda do filme recap de Overlod, alguém mais reparou?




Bottom Ad [Post Page]