Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Análise Sangatsu no LionAnálise Semanalresenharesenha críticaSangatsu no Lion

3-Gatsu no Lion #17 e #18 | Análise Semanal


Semana passada não teve análise de Sangatsu no Lion pelo meu atraso em assistir o episódio. Porém, ainda assim, após assistir o décimo sétimo capítulo decidi esperar por essa semana e então escrever sobre tudo de uma vez, de maneira um pouco mais complexa. Já esperava que os episódios se encaixariam para um entendimento melhor dos eventos.


Ambos serviram para concluir o que vinha do episódio 15 e 16, desde o clímace da derrota de Kiriyama Rei. até os desfechos para cada situação que devia se concluir, para assim um novo começo surgir de verdade.



O décimo oitavo episódio praticamente ocorreu de reflexões de Kiriyama para com alguns assuntos como a derrota de Shimada, além de um melhor fechamento para o desenvolvimento da Kyouko ocorrido no anterior. Já nos conformamos com a estranha forma em que a garota de cabelos loiros se comporta; Humilha e provoca Rei para abalá-lo por dentro, e logo em seguida age de modo frágil e aparentemente gentil. 


O grande jogo de direção foca em mostrar seu lado mau e depois tenta humanizá-la da maneira mais inocente e/ou sensual, deixando praticamente um nó em nossas cabeças para saber a verdadeira vontade por trás da irmã adotiva do protagonista.

Nem Rei, nem seu pai adotivo conseguem lidar com a situação da garota que possui um atrativo por canalhas, é uma típica personalidade facilmente encontrada em novelas ocidentais - ainda de que mais sucinta. As irmãs foram mostradas indo atrás do protagonista, e foi interessante ver como elas não queriam entrar no meio dessa discussão, apenas esperando por sua melhora, gentilmente. As garotas não queriam interferir em sua vida, mas sabiam que era um momento difícil para o protagonista, e as mais novas, com suas doces inocências, refutaram ainda melhor esse desconforto e preocupação que elas esconderam. Isso foi ainda mais claro com a visita de Momo e Hina para com o protagonista; Akari também já entendeu o porque da solidão do garoto, bem como o motivo de ter saído da casa dos pais adotivos - ele tem uma irmã que não age como uma.


A virada de noite da Kyouko na casa de Kiriyama reflexionou bem como ambos irmãos acham que estão no fundo do poço para aquilo que buscam, cada um da sua forma - com a direção visual ajudando a ressaltar suas diferenças. Será que agora a garota toma mesmo jeito e muda suas atitudes? Ao menos, a sádica demonstrou ser sincera nessa noite, ela está com medo.

Os outros momentos que cercaram esses episódios foram reflexivos psicologicamente para o protagonista, como dito no começo. Sua conversa com o professor e com Shimada sempre voltou a clarear a sua mente pessimista que não conseguia enxergar o bom lado da vida. Da mesma maneira, foi ainda mais incentivado a se dedicar mais, a se valorizar por todo esforço que já fazia mantendo sua vida sozinho; Era de fácil compreensão que para dar certo de verdade dependia somente dele, de suas atitudes.


Uma vez que praticamente todos pontos deixados do episódio 15 e 16 foram resolvidos, o final de ambos episódios aqui analisados simbolizaram um novo começo, com uma nova primavera. A derrota de Shimada serviu para Rei ficar mais ligado no que deveria fazer, percebendo que todos se esforçam pelos ideais e vontades que buscam, mas nem sempre conseguem.

Avaliação Episódio 17: ★ ★ ★  ★ 
Avaliação Episódio 18: ★ ★ ★  ★ 

Extras


Será que sou o único que acha o rosto desse indivíduo meio assustador?


***

Bottom Ad [Post Page]