Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Análise SemanalAnálise semanal Shoujo Shuumatsu Ryokouresenharesenha críticaShoujo Shuumatsu Ryokou

Shoujo Shuumatsu Ryokou #3 | Análise semanal


Encontrar alguém neste mundo pós-apocalíptico era algo necessário, ouvíamos ser citadas outras pessoas, frases e pistas de que elas não estavam sozinhas. Cedo ou tarde iriamos encontrar mais pessoas e foi neste episódio com Kanazawa, um jovem dedicado a produção de mapas e que aprendeu a lição.



Neste episódio a produção esteve atenta as nossas necessidades, ela sabia de nosso interesse em “encontrar outros viajantes”, do quanto queríamos ir até os pilares e saber sobre os andares, então diferente de muitos, fomos levados direto as estas repostas ou lugares. O primeiro deles é o encontro com Kanazawa.



Neste momento, igual a elas, ficamos na dúvida se ele era malvado ou do bem e esta impressão perdura por um tempo, fazendo a cena dele parado sozinho com o rifle ser algo angustiante e perigoso, contudo após a inserção de comédia nos momentos certos (“Ela gosta de queimar os livros dos outros”) e da personalidade dele, ficamos com a visão de alguém bem intencionado, dedicado e que morreria por seu trabalho.

Esta dedicação toda nos leva ao tema central desta vez, “Por que as pessoas vivem?”, este tem sido o padrão até agora, elas levantam questões diversas e depois chega na resposta de forma natural, desta vez chegamos a simples lição de moral e resposta: “Pelo o que você quiser”. Sim não existe um motivo ou uma adversidade capaz de te levar a morte, basta aceitar a característica natural do ser humano.



Nós vamos recomeçar pelo motivo que for após a perda de outro, pois a vida continua e ter este motivo nos move, curiosamente este é o mesmo tema abordado numa das OVAs de Kino no Tabi, onde temos a construção de uma torre que quando fica alta de mais ela cai e as pessoas envolta sempre recomeçam.

Porém, aqui são os mapas; ele passou a vida inteira desenhando, um elevador velho e a boca da Yuu fez todos os registros sumirem. E para alguns a saída agora é se jogar, suicídio, e após os créditos vemos a cena extremamente importante ele simplesmente só vai achar outra coisa melhor para fazer, talvez nem mais mapas depois de dar sua câmera.

E as blobs faces (Yuu e Chii) chegaram no novo foco do anime, é importante depois de responder questões sobrepor elas com algo para prender nossa atenção, é justamente esta a função daquelas luzes e o novo ambiente, além disso novas regras: quanto mais perto dos pilares mais casas, quanto mais alto mais conservado o local, entre outras. Isso tudo em prol de ajudar no world building que estamos vendo desde o início.



Outro destaque, no caso os pilares obrigaram as “câmeras” a usar ângulos diferenciados e bonitos para representar a altitude, o ápice deles é durante o caminho delas na ponte, também houveram cenários representado a passagem de tempo que ficou marcante, algo complicado de se usar, posso dizer sem dúvida este episódio ocorreu em um dia só. A intenção é fazer esse encontro ser passageiro porque elas estão com um objetivo diferente.

Ainda existem várias dúvidas, inclusive sobre aonde elas querem ir e a origem do peixe, porém a visão aprofundada da equipe, capaz de não deixar o tédio vencer e dominar você pelos mistérios vai ser muito útil em diversos momentos solitários da nossa jornada, sendo até uma característica boa.

Extras:


Foi anunciado para 20 de dezembro a venda dos CD/OST: fonte em japonês.

O encerramento foi animado pelo criador do mangá Tsukumizu:



Avaliação: ★ ★ ★ ★ ★ (++)

Bottom Ad [Post Page]