Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Análise de Mangáanálise de Smokin' Paraderesenharesenha críticaSmokin' Parade

Smokin' Parade - História de Humanos Mecânicos e Monstros Cabeça de-Pelúcia dos Criadores de Deadman Wonderland


Smokin' Parade é o mais recente mangá de Kazuma Kundou (arte) e Akira Mutsuzuka (história), os mesmos responsáveis pela obra Deadman Wonderland. O mangá é publicado mensalmente na Monthy Shonen Ace desde 2015.

Na história, a tecnologia médica no mundo avançou o suficiente para chegar ao seu ápice muito rápido, e agora é facilmente possível transplantar qualquer órgão humano. Aqueles por trás das operações dos transplantes são chamados de Ame no Tori; mas na verdade há uma conspiração deste grupo contra a humanidade, pois essa operação não é 100% segura e confiável como garantem. Eles utilizam desta nova tecnologia dos implantes para controlar o hospedeiro, transformando-os assim em máquinas de matar - monstros com cabeças de bichos de pelúcia que são denominados Spiders.


Uma força-tarefa chamada Jackalope é colocada para aniquilá-los antes que eles façam cada vez mais estragos com os humanos. Assim, a história segue Kakujou Youkou no dia do seu aniversário de quinze anos, quando sua irmã mais nova se transforma em um Spider e ele acaba entrando no caminho da Jackalope.

A história vai decorrendo com o protagonista na organização anti-spiders, que é composta por indivíduos bem peculiares que possuem passados um tanto obscuros ou tristes - além das famosas gears, suas próteses mecânicas que na verdade são armas de combate. Kakujou inicialmente não quer participar de nada disso, apenas obter uma gear devido aos desastres ocorridos em que perdera parte do seu corpo, mas logo depois ele começa a se envolver bastante com o grupo. Principalmente quando eles começam a enfrentar a Ame no Tori diretamente. 


Kakujou é curioso, pois não só possui a índole imprudente de adolescente, mas age e pensa de uma maneira muito própria. A personalidade do garoto é marcada principalmente pelas tais regras de conduta que ele diz seguir o tempo todo, pois estas aparentam ser de grande importância para o garoto e ele inclusive as chama de "regras da família Kakujou" - apesar de aparentemente ser o único a conhece-las.

Uma questão interessante que embarga na história é a ampla e frequente discussão sobre ser "humano" e ser "monstro". É bastante questionado durante os diálogos e afazeres dos personagens quais seriam as condições que tornam alguém humano. Ou melhor, as condições que fazem com que alguém deixe de ser humano, pois no caso da Jackalope, seus integrantes são um bando de assassinos com partes mecânicas no corpo que servem como armas. Todos os membros da organização são constituídos por esta interrogativa, e o roteiro tenta mostrar o background de cada um de maneira bem peculiar. No geral, o mangá passa apenas uma sensação de humanidade corrompida. 



Não. Isto não é um potencial spoiler.

Mas o que mais se destaca na obra, sem dúvida alguma, é a expressiva arte em Kondou que ilustra muito bem o estilo steam punk pavoroso que os personagens trazem consigo. O estilo não é só muito bonito com seus traços finos, mas também agrega em muito na caracterização dos personagens em geral. É claro como usam simbolismos psicodélicos com praticamente todos os personagens - ainda mais os que não são da Jackalope.

Não só dos assassinos da Jackalope, mas também nos bizarros spiders cabeça-de-boneco que surgem por aí. Os desenhos em geral fazem um questionamento com a humanidade dos personagens.


Smokin' Parade é um entretenimento interessante, ainda mais para quem se interessa por uma história um tanto sádica com personagens de designs muito estilosos e bizarros, com um notável aproveitamento visual que se encaixa muito bem com a premissa do mangá,

Avaliação: ★ ★ ★ ★ ★ (+++)

Bottom Ad [Post Page]