Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Análise Semanalanálise semanal just becausejust becauseresenharesenha crítica

Just Because! #7 | Análise Semanal



O episodio de forma narrativa fez uma coisa muito interessante, mas ao mesmo tempo uma coisa terrível. Depois de Just Because! ter chegado à firme confirmação de que Eita e Ena seriam o melhor casal perfeito, este episódio vendeu completamente Mio e Eita como um par igualmente convincente. Isso narrativamente é muito legal, porem um personagem que me interessa terá que se machucar, isso é intolerável. Foi um episódio muito forte no trabalho de dramas e caráter de personagens. Sua principal falha, como de costume, foi a sua execução visual. 

Eu já aceitei que Just Because! não retornará com a animação eficiente dos primeiros episódios, porem a animação do episódio desta semana foi abaixo da media. Além disso, temos os estranhos backgrounds em live-action que levaram a uma fotografia seriamente confusa e muito esquisita, com uma sequencia em que metade do elenco visitou um shopping que se parecia com uma jornada para outra realidade. Tivemos outros momentos de backgrounds com live-action, mas esse foi de longe o pior.

Just Because! tem uma ambientação visual louvável, mas agora o anime está pagando por essa ambientação trabalhosa. Felizmente, Just Because! manteve sua storytelling tão forte como sempre; este episódio fez um trabalho maravilhoso de concretizar o triângulo amoroso Eita x Mio x Ena. 


Todos esses três personagens principais receberam um excelente trabalho de personagem neste episódio, abrindo com as lágrimas de Ena sobre o clube de fotografia. Esse conflito exemplifica perfeitamente o que é Just Because! - um anime que medita consistentemente sobre a dificuldade de encontrar um lugar feliz após o ensino médio, o motivo da fixação da Ena no clube de fotografia é porque aquele é o lugar onde ela realmente sente-se livre. 

O anime fez um bom trabalho para retratar a honestidade desajeitada desta declaração, dedicando sua animação limitada na primeira sequencia - onde Ena derrama lágrimas, e depois comemorando quando Eita finalmente deixa ela usar a sua foto. 

Foi muito gratificante ver a Ena mais uma vez demonstrar a sua determinação em perseguir seus sentimentos e objetivos, sendo mais determinada e destemida do que qualquer outro membro desse elenco. Essa força e determinação provavelmente também inspiraram Eita. 



A manhã do exame da Mio foi atolada pela suave neve. Just Because! é o anime perfeito para capturar a paz abafada de uma manhã cheia de neve, mas essa configuração atmosférica não agradou a Mio. Presa entre trens atrasados ​​e cancelados, ela se viu paralisada e incapaz de suportar e seguir em frente em direção ao exame. E nessa situação que Eita aparece, seus sentimentos por Mio somados as conversas involuntárias com a Ena finalmente o levaram a ação. 

Embora Eita se apresente como uma pessoa carrancuda e auto-focada, sem uma paixão real dentro dele, a maneira como ele levantou o Haruto e agora a Mio demonstram sua verdadeira força de caráter. Um ótimo personagem! O seu despreocupado "Eu estava apenas passando" era tão encantador quanto era verdadeiro para ele, e a seguinte cena, onde ele interrogou Mio em questões de história japonesa, foi como um pequeno triunfo romântico. 

O conflito da Mio com essa horrível manhã onde tudo parecia dar errado, e que no fim fez ela perder o nervoso da prova, é uma perfeita exemplificação do que é Just Because! - este seria um problema muito pequeno para a maioria dos animes priorizar, mas absolutamente é um conflito muito verdadeiro para a vida real. O resgate de Eita caiu nos mesmos parâmetros; ele não é o tipo de pessoa que poderia levantar Mio com um discurso inspirador, mas ele é o tipo de pessoa que poderia ajudar ela a arrumar a desordem da sua cabeça, então é o que ele fez. 


Isolados no trem pela sutil falta de cor de todos os outros passageiros, essa cena foi uma demonstração que esses dois personagens se pertencem. potencial relacionamento de Mio com a Eita ainda foi reforçado por um bom flashback, que demonstrou como Eita sempre foi estranho, mal-humorado e fundamentalmente gentil. Mas é claro, enquanto Mio demorou sete episódios para perceber que talvez goste-se do Eita, a personalidade proativa da Ena a empurrou para fazer sua escolha no final deste episódio. 

No fim do episodio Ena pergunta para Mio se poderia pedir para sair com Eita. Todo mundo está procurando um lugar para pertencer, e no caso de Ena, esse lugar pode ser apenas do lado de Eita. Mio pode ter sido super passiva até este ponto, mas sua resposta a Ena é um perfeito "não, você não pode", rápido e decisivo, falou quase em voz baixa, mas de um ponto físico mais alto do que a Ena. Essas três palavras indicam tanto: Não, você não pode entrar e tomar o que já seria meu se eu tivesse percebido ou agido mais cedo. É tão egoísta e tão fascinante! 

Pedido negado é um primeiro passo admirável, é quase como se a Mio tivesse fazendo uma linha na areia. Ena, Mio e Eita foram todos estabelecidos como personagens simpatizantes com relacionamentos atraentes e únicos. Este fluido triângulo amoroso me deixa frustrado de uma forma muito boa.  


Avaliação:   ★  ★ 
***

Bottom Ad [Post Page]