Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Análise Sangatsu no LionAnálise Semanalresenharesenha críticaSangatsu no Lion

Sangatsu no Lion #34 | Análise Semanal



O retorno de Sangatsu no Lion trouxe um episódio muito mais pesado e conflituoso do que o normal.

Em meios aos problemas confrontados pelo bullying Hina criou uma incrível coragem neste capítulo, que marca o retorno da séria em sua segunda metade do segundo cour, após uma semana de hiato, para mostrar uma grande evolução como personagem. Primeiramente, ela se ergueu em afrontar a garota que faz esses abusos na sala de aula, direcionando o momento para uma incrível cena de sua coragem em partir para cima daquela que sempre se faz de indiferente. Finge não saber de nada, não ter feito nada. O episódio ganhou proporções muito maiores na sua direção que sobejou o que chamamos de "direção visual gritante" de Sangatsu no Lion, indo para um clima muito mais pesado, inóspito e aterrorizante que apenas exprimia a situação daquela turma. E de sua professora.


E não por menos, o visual borrado, o simbolismo da nuvem escura correndo todos os cantos e personagens, e a paleta escurecida das cenas só evidenciaram o psicológico falho da professora que não conseguiu dar conta dos recorrentes problemas da classe, ela passou a sofrer por isso. Neste ponto, eu não poderia mais julgá-la por ter sido tão inútil até esse momento, sem ter base para saber de quais problemas ela passava. Mas, a conclusão final foi que esta professora simplesmente "ficou louca" e começou  a passar por problemas de estresse por não tomar nenhuma atitude para o que via acontecer em suas aulas, sendo totalmente displicente. O fato se faz concreto quando a própria diz que sabia muito bem quem estava sofrendo e quem estava praticando o bullying, mas que não tinha provas, não tinha o que fazer e que seria muito mais fácil "deixar para lá". A resolução deste caso com a epifania da cruel mulher foi um passo adiante para o avanço das resoluções. Madao-sensei, o chefe dos professores, apareceu para substituí-la e fez tudo melhorar.

Assim, entro no segundo ponto em que Hina mostrou ter crescido muito: ela conseguiu acudir e dar o conforto para sua irmã mais velha que encontrou muita dificuldade da reunião de pais. Antes disso, é importante frisar o quão realista foi o comportamento da mãe daquela garota, que não via motivo para achar que a filha era a praticante do bullying. Como muito bem colocado por Madao-sensei - que obteve de diálogos brilhantes e foi de suma importância para o desfecho da situação, não há como haver em casos de bullying provas de que tal pessoa comete os abusos. Nenhuma criança envolvida, que sabe ou ouviu falar sobre o caso, quer relatar sobre isso. Ninguém quer apontar quem produziu o ato. Todas temem por serem a próximas a sofrerem, e esse ciclo vicioso nunca termina, pois a vítima sempre fica sozinha e sem ninguém para consultar. O professor busca a coerência em dizer em última instância para a mãe da garota provar então que a Hina que estava mentindo sobre sua filha ser a praticante do bullying, e é aí que o jogo vira e os efeitos se contrapõem. Se a garota tivesse de fato mentindo, seria fácil provar. Se ela está sofrendo bullying, não há como evidenciar - como já foi explicado.


Grande personagem.

Voltando à Hina, o desenvolvimento da personagem se torna incrível e bate seu auge no episódio quando ela apoia Akari que já não conseguia debater com aquela mãe. A irmã mais velha precisava tomar atitude mais madura e é singela a forma doce e amorosa para qual ela queria fazer isso. Devido ao fato dessa mãezona se sobrecarregar tentando encontrar uma saída para a situação, a sua irmã mais nova foi essencial para mostrar que ela não estava sozinha, e muito menos que não haveriam caminhos a se seguir. 

Os frames mostrando ela prometendo para sua mãe que protegeria suas irmãs é muito representativo e triste, uma vez que podemos ver e imaginar que tipo de enfermidade a senhora Kawamoto possuía. 

O episódio se encerra com um sublime diálogo entre Akari e Madao, tomando rumo de partida para um novo começo e novas consequências que serão tomadas para o objetivo de acabar ou minimizar o bullying e suas tentativas naquela classe.



Vovô determinação.

Palavras acabam sendo vagas e poucas para representar os problemas que foram tão bem retratadas nesse episódio de Sangatsu no Lion. Seu visual muito bem reproduzido e seu simbolismo fazem os sentimentos dos personagens muito mais intensos e vivos do que o normal, tornando a experiência mais pesada, triste e emocionante. A imersão dramática visual e narrativa da série gritou mais do que sua voz poderia aguentar neste episódio, e o resultado foi um capítulo de tirar o fôlego.

Avaliação: ★ ★ ★  ★ (++)

Extra


Elas precisa ser protegida, também.

Bottom Ad [Post Page]