Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Análise Sangatsu no LionAnálise Semanalresenharesenha críticaSangatsu no Lion

Sangatsu no Lion #36 | Análise Semanal



Os preparativos para a batalha comemorativa entre Rei e Sourya fizeram o episódio desta semana, que levou em consideração vários momentos descontraídos dos figurões colegas de Rei e membros da associação de shogi dialogando e trocando elogios sobre os dois jovens garotos que chamam atenção por um momento tão aguardando.

As observações de Kiriyama durante o episódio só enfatizam o medo e a curiosidade que o protagonista tem por aquele estranho jovem albino que é dito como praticamente um mestre do jogo; suas reflexões sobre a incapacidade de sequer começar uma partida com Souya, falar com tal ou vê-lo de longe pregam uma angústia do garoto. O episódio também fez um importante papel de mostrar o lado de Souya, que por alguns diálogos é percebido como um homem normal que também pode ter defeitos, é avoado como disse Rei. Mas a forma como ele prega sua devoção pelo shogi sem se importar com toda a carga física e psicológica que perpetua sobre si próprio, seja com as inúmeras viagens, partidas, pressão da imprensa e dos associados, etc., é incrível. 


A direção fez uma grande simbologia quando mostrou o aparente albino trombando com a mulher que segurava taças de vinho, e sem nenhum tipo de reação negativa ele apenas manteve sua postura e voltou a falar sobre a próxima partida com Kiriyama. O vermelho forte do vinho em sua roupa fez metáfora com o sangue que Souryo derruba para aguentar isso tudo e manter uma sóbria postura de alguém quem está convicto em apenas fazer suas partidas como se deve. Não é por menos que todos naquele local ficaram boquiabertos, sem palavras para a reação e postura do homem. Não podiam chamá-lo de nada menos do que demônio do shogi.

Avaliação: ★ ★ ★ ★ ★ (++)

Extra


Endcard do episódio muito bem desenhado, pelo artista de Hokuto no Ken.

Bottom Ad [Post Page]