Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Análise Semanalanálise semanal Violet Evergardenresenharesenha críticaViolet Evergarden

Violet Evergarden #3 | Análise Semanal



Efetivamente não quero transformar minhas analises em uma coletânea de razões pelas quais Violet não está me tocando, mas não tenho muito para onde ir. 

A premissa desse episódio é que a protagonista vai à escola de "autômatas de auto-memórias", e a estrutura do começo do episodio é a mesma dos episódios anteriores: Violet batendo continência numa situação incomum, pessoas se impressionando quando ela tira as luvas, e por ai vai. Já estou começando a sentir a repetição da maneira que o anime lida com o seu desenvolvimento de personagens e temas. 

Neste capitulo somos apresentados a Luculia, uma garota da mesma classe de Violet que quer ser também uma automata de auto-memorias. Simplificando o background da personagem, seus pais morreram na guerra enquanto seu irmão sobreviveu, e ela não sabe como transmitir que está feliz por ele estar vivo. 

No fim, o arco da Luculia é rapidamente resolvido; poderiam ter cavado bem mais na personagem, sua história de fundo complementa os temas do pós-guerra da narrativa global do anime. Mas infelizmente ela é usada de forma demasiada superficial.  


O episódio foi até interessante pela evolução da Violet, onde ela consegue finalmente transmitir algum sentimento em sua escrita, mesmo que em uma simples frase sem qualquer enfeite em suas palavras. Mas, em seguida temos o monologo da Luculia.  

Sinceramente, me sinto até mesmo ofendido vendo Violet Evergarden. A obra trata o telespectador como um completo idiota. O ápice disso é o monólogo da Luculia no final do episódio, idêntico ao que a Erica faz no anterior, que tenta traduzir tudo que aconteceu durante o episodio, como se o espectador não tivesse a mínima capacidade de absorver o que ele acabou de assistir. Não consigo saber se a obra de fato se acha complexa, ou se ela vê o telespectador como um idiota que não entende o obvio. Mas independente da resposta isso é ofensivo.   

A unica coisa que posso apontar de, realmente, diferente nesse episodio é ter uma abertura e um encerramento, de resto a sua estrutura se mantem a mesma.  


A configuração de uma boneca para a protagonista é, na verdade, uma metáfora muito boa para a série em si, porque assim como uma boneca a obra também é artificial. Para mim esta é a essência da obra  - Violet Evergarden é simplesmente muito educada, auto consciente e calculada a ser emocionalmente comovente. Se você não cai nas "armadilhas emocionais" da obra, muito provavelmente você terá sérios problemas assistindo isso. 

Eu realmente gosto da ost, mas acabei pegando uma raiva sem tamanho dela. A música é colocada de maneira intrusiva e repetitiva em momentos forçados a emocionar, o que a torna enjoativa. 

Não sei o que mais há para ser dito sobre este episodio. É cada vez mais claro que o charme em Violet Evergarden reside mais nos detalhes do que a história global, porem é preciso acertar muitas coisas nesses detalhes, e principalmente sair dessa zona de conforto que a obra está entrando.

Luculia em linhas de conclusão é só uma personagem "fabricada", sendo criada apenas para criar uma pseudo evolução da protagonista. No fim, o conflito deste capitulo se concentra no mesmo dos anteriores: a incapacidade de violeta para ler entrelinhas. 


Avaliação:    ★ ★ (+++)

Bottom Ad [Post Page]