Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Análise Semanalanálise semanal darling in the franxxdarling in the franxxresenharesenha crítica

Darling in the Franxx #6 | Análise Semanal


Para quem estava contando, esta era a terceira vez do Hiro e se era para morrer seria agora, óbvio se tratava de uma evolução e não era possível o anime matar seu protagonista. Ainda a Ichigo é posta na “friendzone” ou “sisterzone” e sendo um grande reflexo do primeiro episódio as dinâmicas amorosas imperam junto ao episódio cheio de ação.



Antes de mais nada é importante notar, dentro de um mecha geralmente tudo acontece numa cabine pequena sem quase influência externa assim o único caminho que sobra para resolver problemas é a solução vim de um devaneio, viagem astral, ou simplesmente da parceira. O anime se põem nesse “xeque-mate” por ser algo intrínseco do gênero, é semelhante aos passeios de bicicletas nos romances. Então talvez não seja este o caso onde uma revolução acontecerá.
E como falado apesar de ser um episódio com muita ação, muito sentimento esteve presente, na verdade reflexo do episódio 1, com o Hiro abraçando a 02, a Ichigo tentando resolver sua paixonite e travando o mecha, essas são só algumas das justificativas para provar que neste momento o anime foca nos personagens e suas motivações, por isso a pergunta “por que você pilota?” é mais importante do que a “por que hiro teve sua doença regredida?”.

Obvio que Hiro encontrou um motivo melhor para lutar (“quer proteger aquele sorriso”), mas a motivação da 02 está em segredo e ela mesmo não quer revelar, isso talvez tenha influência direta na conclusão da história e o que suponho ser o foco depois da primeira metade quando a história e a ambientação serão os pontos mais importantes, igual a mudança ocorrida em Little Witch Academia.
Há também a noção de conclusão do primeiro arco “hiro precisa pilotar” e já introduzem aos poucos a próxima problemática, talvez seja o drama da separação, está claro que os Nove têm assunto a tratar com os dois 02 e 016 (Nine Iota) só temos a dúvida de qual é objetivo. E assim a ideia de Hiro e seus colegas serem parte de algum projeto especial ou protótipos se torna mais verdade.

Neste ponto as teorias começam a surgir, mas o anime tem se mostrado bem diferente dos padrões então melhor não tentar prever muito, claro não tanto para quem viu EVA e alguns romances porque existem algumas coisas padrões que podemos esperar como o problema da Ichigo causando drama ao longo da série, vide a forma dos japoneses lidarem com romances, isso pode ser bom ou ruim dependendo da sua conciliação com o jeito pouco agradável de resolver esses problemas por lá.
Sobre a ação em si, esteve muito boa, geralmente este comportamento de reter as batalhas para um único momento e durante elas explicar ou se aprofundar nos temas indica interesse em não deixar somente a ação carregar o anime, também não matar ninguém ou figurantes para gerar choro desnecessário passando a responsabilidade do drama para os personagens principais é menos um problema. No geral considero como um bom episódio e marco de final dos problemas sexuais do Hiro, agora basta saber o que os Nove querem.

Extra:

Nine Iota ou Nove Iota (Iota é 10 em grego) remete ao número 910 coincidentemente é o código do Hiro 016 ao contrário.

Bottom Ad [Post Page]