Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Análise Sangatsu no LionAnálise Semanalresenharesenha críticaSangatsu no Lion

Sangatsu no Lion #39 | Análise Semanal



Após três incessantes semanas de hiato devido aos jogos olímpicos de inverno na Coreia do Sul, o anime finalmente retorna dando início ao arco que envolve desta vez os mais velhos e um grande confronto.

Nikaidou e Kiriyama estão como comentaristas para um jogo inusitado que vale o título Meijin, um dos mais importantes para a campanha de shogi; Shimada está mais do que preparado para enfrentar o velho veterano Saku, e isso é bem mostrado com as poucas passagens do personagem durante o episódio: seus diálogos são firmes e mal vacilam na segurança que o irmão mais mais velho não-sanguíneo de Nikaidou possui. Em contra partida, o velho Sakutarou Yanagihara é invicto por muitos anos com esse tão importante título, mas apesar de toda essa glória, ele carrega consigo o peso de vários tipos de tensões.
A idade de Sakutarou já traz consigo muitas limitações, o anime faz com que percebemos esse fato sutilmente enquanto o personagem confere a lista de remédios para todos os tipos de doenças e transtornos que possui, e não são poucos; não só isso, mas vários de seus amigos e colegas já desistiram dessa vida de shogi, seja por suas idades que o deixam deficientes de habilidades para acompanhar os novos talentos da indústria, ou pelas demissões inesperadas que todas possuem. A carga que Saku-chan carrega nas costas pela pressão feita daqueles que ficaram para trás é tanta que o velho duvida de si mesmo. Ele também já está em uma idade avançada o suficiente para que não tenha mais nada além do shogi. Se perder seu tão importante título ele ficará sem nada, sem sustento ou emprego fixo que a idade já não permite. Talvez, além do mais ele não consiga mais se recuperar dentro dessa jovem e nova indústria depois de uma possível derrota para Shimada nessa partida - e é isso que ele mais teme.

Se não fosse pela inesperada visita de um antigo amigo durante esse capítulo, possivelmente Sakuratou não ficaria com um abalo psicológico tão grande de insegurança e medo de perder. A direção de Shinbou faz novamente um brilhante ato nessa situação em usar o potencial artístico da obra tão bem para metaforizar com as faixas que Saku-chan menciona, caindo sobre o personagem ao ponto dele ser encoberto por várias pedaços - que apesar de talvez não pesarem tanto individualmente, uma vez aglomeradas formam uma tremenda pressão no personagem. Por um breve instante, que vai até o final do episódio, ele caminhou por passagens escuras sem certeza dos rumos para o qual estava indo, com seu rosto - boca e olhos - tampados pelas faixas que representam sua atual dificuldade.
Ao final do capítulo, Shimada possuía uma aparente vantagem na partida que está tendo como característica uma grande diversidade de jogadas e táticas que nem mesmo os brilhantes jovens como Rei conseguiam identificar - e isso por parte de Sakuratou. Será essa a representação de sua reputação, experiência e maestria com o shogi, ou apenas jogadas inconsequentes e semi-aleatórias de alguém que continua andando com o rosto tampado por angústias e inseguranças?

Avaliação: ★ ★ ★  

Extras

Lindo endcard:

Capa do volume 8 de Sangatsu que inspirou a incrível cena artística dirigida pelo Shinbou:

Linda ilustração usada durante o episódio:

***

Bottom Ad [Post Page]