Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Análise Semanalanálise semanal Violet Evergardenresenharesenha críticaViolet Evergarden

Violet Evergarden #8 | Análise Semanal



Esse episódio traz claramente uma reflexão: a montagem que foi pensada para a obra foi realmente a melhor?

Nesta semana não há clientes extravagantes ou cartas "emocionantes" escritas, pois descobrir a morte de Gilbert leva Violet de volta ao seu passado escuro. Embora nunca tenham explicado exatamente como a menina que Gilbert viria a chamar Violet foi moldada em uma máquina de matar tão eficiente, uma coisa é certa: absolutamente nenhum cuidado foi tomado em como seu desenvolvimento emocional sofreria com seus deveres militares, pelo menos não até Gilbert ter tomado a custódia dela. Sinceramente, esperava alguma justificativa advinda do passado da protagonista que explicasse qual o motivo de um descaso tão grande de adultos para com uma criança. Porque tratam ela como efetivamente uma maquina, programada apenas para a guerra? Fiquei esperando tal explicação durante todo o episodio, até que percebi que nada de fato viria. Sendo no fim só figurantes padrões com uma índole deturpada, como vemos em uma tonelada de outras obras; uma configuração de personagens bastante conveniente e fácil de se criar. Mas ok, desde que a obra consiga fazer pelo menos o básico bem feito é possível relevar essas bordas.
  
Violet era um trunfo valioso para os militares, então Gilbert foi ordenado a colocá-la na linha de frente da guerra, onde ela se distinguiu como uma arma sem medo. Mas, enquanto observava seus inimigos morrerem sem qualquer tipo de expressão em seu rosto, muitos olhares doloridos surgiram do major. Ele realmente não queria contribuir mais para o tormento dessa criança, porém ele não tinha muitas escolhas, não sendo o tipo de personagem rebelde. E então, Gilbert apenas observa com pena e arrependimento essa garota que todos consideram apenas uma arma continuar perdendo sua alma.

Quando Violet encontra a sepultura de Gilbert sob uma árvore, é aparentemente a confirmação final que ela nunca mais verá o major, mas isso é algo que ela nunca antes havia contemplado. Violet neste momento parece completamente perdida sem o homem cujos olhos verdes combinam com o broche que ele mesmo comprou para ela.
O relacionamento de Gilbert e Violet sempre foi completamente trágico, com a guerra ditando como Gilbert teve que usá-la, e Violet nunca criou ou dominou habilidades humanas de interação ou auto-relutação enquanto Gilbert respirava. Mas graças a ele, ela pelo menos teve a chance de aprender, teoricamente, gradualmente; suas façanhas com uma boneca são prova disso. Vale notar que este contraste entre o passado e o presente da Violet só foi possível graças a montagem que o anime escolheu, revelando a morte do Gilbert no inicio. E nesse momento entra a minha pergunta inicial: a montagem que foi pensada para a obra foi realmente a melhor? Por um lado perdemos o impacto da morte do Major, mas por outro com isso é possível ver uma clara diferença da Violet antes e agora (já desenvolvida). Ainda não tenho uma opinião concreta sobre, vou aguardar o anime terminar para tirar as minhas conclusões, mas vale a reflexão.  

Como desenvolvi durante a análise: A premissa por trás do triste passado da Violet é ridículo (com figurantes unidimensionais que são extremamente rasos e bobos), mas o anime conseguiu contornar isso concentrando-se quase inteiramente nas interações da Violet e do Gilbert - interação essa que realmente achei legais. Individualmente, essas cenas são muito bem animadas e dirigidas, mas gostei especialmente de como o anime usa diferentes efeitos climáticos e cenários para capturar o estado de espírito da Violet. Por exemplo, Gilbert primeiro traz Violet para sua casa no inverno, refletindo o frio e a dureza de seu mundo interior. Quando ela impiedosamente derruba os soldados inimigos em uma cena seguinte, a noite é escura  e ganha fogo no background. As sutis e inteligentes escolhas  visuais  tornam a história um pouco mais interessante.

Em linhas de conclusão foi um episódio ok, que focou finalmente no passado da protagonista; passado esse que se mostrou bem fraco beirando o ridículo. Mas esta era uma história necessária para o anime contar, e o capítulo conseguiu lançar as bases que serão necessárias para o futuro desenvolvimento da protagonista. Até o momento, a revelação do passado da Violet não é tão interessante quanto o acúmulo em torno dele. E estou curioso como o conhecimento da morte de Gilbert afetará as ações no futuro da personagem. Me pergunto se o anime retornará a narrativas episódicas na próxima semana, e qual será a mudança nas interações da Violet para com seus clientes.


Avaliação:    ★ ★ 
***


Bottom Ad [Post Page]