Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Análise Semanalanálise semanal Megalo boxMegalo Boxresenharesenha crítica

Megalo Box #8 - Confie no Joe | Análise Semanal

Ficou claro desde o início que em Megalo Box tinha algo especial acontecendo. Mas a série cimenta essa impressão a cada episódio sucessivo, baseando-se no sucesso do último. Ouve-se muito elogio pela originalidade em obras, rebaixamento de alguns gêneros - eu não sou a exceção. Mas há algo a ser dito sobre a grandeza da narrativa tradicional, e Megalo Box é um exemplo brilhante disso. É uma homenagem adequada para seus antecessores de franquia, sim, mas mais do que isso para filmes de esportes e mangas em geral e boxe em específico. A fórmula é bastante simples - construa sobre o que veio antes e execute-o com quase perfeição.


O que também vemos em MegaBox é a vantagem inerente da série original. É claro que essa história foi apresentada desde o início com detalhes precisos - cada episódio terminaria onde terminava, e cada reviravolta levaria suavemente para a próxima. Não há necessidade de ajustar o ritmo ou adicionar bits originais, às vezes desajeitados, para vincular desenvolvimentos - a história flui como um rio. Claro, há muito material para o moinho de uma série mais longa aqui - mas os escritores desse programa são muito bons no que fazem, e escreveram para que funcionasse perfeitamente como uma série de 12 episódios.
Embora seja óbvio que Nanbu-san estava certo em não deixar Joe lutar contra Shirato Mikio - que teria sido o cenário dos sonhos de Mikio - ele cometeu um erro no julgamento. Isso é perdoável, dado que não houve tempo para nada além de uma reação instantânea, mas como Fujimaki diz, ele foi blefado - e para um golpista como Nanbu, ser blefado é uma humilhação. Sim, Mikio tinha um senso da verdade - mas, na verdade, o que lhe faltava era uma evidência concreta. Nanbu não poderia saber disso com certeza, mas ao pesar os prós e contras, ele provavelmente tinha mais a perder ao recuar do que ao forçar a questão. Especialmente considerando que o Joe provavelmente não teria dado a mínima para sua documentação ser fraudulenta.

O erro está cometido, Nanbu então entra em uma série de movimentos de desespero. Ele percebe a vulnerabilidade de Mikio nisso - esse é o cerne de seu apelo a Fujimaki para que ele tente nivelar o campo de jogo com sua influência. Isso leva ao recrutamento forçado de um ex-engenheiro da Shirato - e ele traz alguns tópicos interessantes para a trama da história. 

Uma coisa que o Megalo Box nos garante é que cada conjunto de Gears tem algum tipo de fraqueza (embora não tenhamos visto o que é no caso do Yuuri, você pode apostar que vamos), e no caso de Mikio, é Joe. Ou seja, seu equipamento funciona lendo e reagindo aos impulsos eletromagnéticos que o equipamento do seu oponente envia (que soam como trapacear para mim, mas não mais do que qualquer outro conjunto de gears), ele não pode ajudá-lo quando o oponente não tem gear para ser lido. Isso faz de Joe uma ameaça, embora, como ele diz, o olhar nos olhos de Mikio não fosse de medo mas sim de desprezo (assim como o olhar de Yukiko para Nanbu-san). Uma vez que uma revanche é forçada (como sabemos que iria acontecer, embora a tensão ainda fosse muito real) ele é o tipo de cara que sempre terá mais um trunfo escondido na manga.
Nanbu faz uma jogada interessante em apelar diretamente para a Yukiko . A noção de que "o inimigo de um inimigo é um amigo" tem méritos históricos e, de fato, eles têm objetivos comuns até certo ponto. Mas Yukiko é uma empresária em primeiro lugar - ela tem mais a considerar aqui do que seus sentimentos pessoais. É uma louca corrida fazer com que a cerimônia em prol de Mikio como o último competidor de Megalonia seja cancelada, e Nanbu faz uma aposta de desespero quando o apelo a esses sentimentos falha - chantagem. Mas a reação de Yukiko é prender Nanbu na sala de conferência para que ele não possa gritar (seriamente cara, você não pensou que isso aconteceria?) e tudo está aparentemente perdido.

Se há um elemento frustrante no enredo da serie é o fato de Nanbu continuar cometendo erros grotescos - não se esforçando o bastante para encontrar Aragaki, não enxergando através do blefe de Mikio, carregando sua bomba para as mãos do inimigo. E, claro, não ligar para o Sachio como seu primeiro ato após ter ficado trancado naquele quarto. Mas eu atribuo isso a isto: Nanbu é um baixinho abatido e underground que provavelmente bebeu demais e deu muitos socos durante a sua vida. Ele é perspicaz, mas não é sensato, e propenso a más decisões. E foi isso que o colocou na bagunça em que ele está.

Neste caso, porém, ele cria um final incrivelmente empolgante - Joe correndo para a arena em seu helicóptero para arrebentar a cerimônia como Dustin Hoffman em The Graduate. A ideia de um “artigo genuíno” é central para o apelo de Joe - e para o próprio esporte Megalo Box . Joe claramente é, e Mikio não é - com Yuuri, é difícil dizer com certeza. Nanbu-san já disse: "Todas as lutas que ele venceu forma legítimas! Ele é um lutador bom de verdade!" É agora, Joe vs Mikio, e uma guerra completa entre os irmãos Shirato pelo controle da empresa e da Megalonia. Todas as peças estão no lugar para um arco final fantástico, e eu não tenho nenhuma razão para duvidar que MegaBox vai entregar exatamente isso.

Uma frase do Nanbu ficou martelando na minha cabeça durante todo o final, e provavelmente continuara durante todo o anime: "Não confie em mim, mas sim no Joe." Joe é o tipico protagonista que incontáveis shows tentam reproduzir, mas é uma construção tão precisa e de difícil resultado carismático que quase todos eles caem no genérico. Reproduzir sem entender é um erro. O final do episodio foi um perfeito "confie no joe" (e foi o  que a Yukiko fez), assim como todo o anime tem sido.  


Avaliação:      
***

Bottom Ad [Post Page]