Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Amanchu AdvanceAmanchu!Amanchu! AdvanceAnálise Semanalanálise semanal Amanchuresenharesenha crítica

Amanchu! Advance #10 | Análise Semanal


O episódio 10 é perfeito para tratar do elemento mais primitivo aos Slice of Life (SoL), o único que era presente nos anos 80 em animes dos quais nem eram classificados como SoL, o elemento é “Coming Age” ou “passagem do tempo” ele aborda o amadurecimento dos personagens durante grande intervalo de tempo.

Este é o ponto mais comum em quase todos os animes SoL até mesmo os de comédia, a ideia é retratar por completo um período da vida normalmente a vida escolar (K-on, Acchi Kocchi) e encerrar o motivo de todos estarem juntos (Fune wo Amu), Amanchu se prepara para este momento onde Teko e Pikari não vão estar mais juntas.
E os personagens precisam amadurecer para esse momento, é então que a ideia surgi: “Por que não mostrar o cotidiano deles até que eles se separem? ” Provavelmente é desta ideia que o termo “slice of life” ou “fatias de vida” surgiu como se fosse o acompanhamento do drama sem o triste drama.

Mas como não há caminho tristes em nem um SoL há somente despedidas e novos horizontes, Amanchu se encarregou de nós responder o “por que não há motivos para ficar triste? ” Talvez mostrando como qualquer escolha que seja tomada com amor e carinho seja a escolha certa ao mostrar o passado da avó da Pikari.
Generalizando o flashback podemos dizer que se trata de uma aventura nas nossas próprias decisões igual a nova garota estava por tomar ao decidir não seguir sua irmã, uma aventura de amadurecimento e crescimento ou superação do medo, como em ambos os casos elas estavam com medo das ideias e sonhos com os outros questionando elas e dizendo para desistirem, não é diferente na vida real porque este medo é quem mata nossos sonhos.

E assim o melhor momento é o ano novo, onde todos estão com o espirito acalentados para novos objetivos e serve de catalizador para qualquer empatia no feriado mundialmente comemorado, porém sinto que Amanchu ainda carece da ótima trilha sonora como a do seu irmão mais velho para fixar o sentimento.
A narrativa do episódio ainda pode ser ampliada por um pequeno detalhe, quase todos os animes bons ou aclamados pelas críticas tem de certo modo uma lição ou mensagem a ser passada e é isso o que mais gosto em Amanchu e em diversos outros animes, que eles não sejam só um entretenimento que tenham algo a mais a ser dito.

Como parâmetro bônus da análise devo comentar sobre as diversas caras e bocas, cada estúdio e criador tem sua noção do quanto o personagem vai se distorcer para exprimir seu sentimento, no caso parece que os limites estão liberados e sim está é uma marca do criador e poucos criadores e estúdios abusam das caretas, o que é estranho porque antigamente era comum vermos isso.
E por bem ou por mal a fase fantasia passou, espero que na despedida ainda tenha mais fantasias, dublagem da Akari-chan e mais participações dos gatinhos. No mais é um bom episódio e pode ser levado como modelo clássico dos primeiros SoLs.

***

Extra:

Como são legais as roupas em Amanchu:

Bottom Ad [Post Page]