Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Amanchu AdvanceAmanchu!Amanchu! AdvanceAnálise Semanalanálise semanal Amanchuresenharesenha crítica

Amanchu! Advance #11 e #12 | Análise Semanal


Slice of Life se preparam de modo diferente para o final enquanto os animes normais buscam refletirem sua história no desfecho outros buscam simplesmente reforçarem sua mensagem e darem um adeus. Amanchu mais precisamente se despediu de nós nestes dois últimos episódios.

Curiosamente essa marca é muito forte nas obras Aria e Amanchu ambas sabem como é bom e triste terminar algo tão bonito e especial e elas preparam no seu desfecho um tipo de clímax, momento muito impactante e relaxante acompanhado de música e cenários lindos. A ideia é reforçar os laços entre uma promessa e a passagem de tempo.
Como falado anteriormente o “coming age” é muito presente e dilui as dificuldades e superações envolvidas, o episódio 12 é o puro resumo da obra então e destaca o mais simples conceito que venho tentando salientar de que “não importa o quão conhecido seja o lugar, ele ainda pode ser novo” isto se perfaz pelo mergulho noturno e suas novas iluminações.

Porém devo admitir somente agora Amanchu teve uma trilha sonora ao nível de Aria, um dos grandes feitos em Aria era sua trilha sonora e consequentemente fixação dos momentos, Amanchu conseguiu o mesmo efeito somente agora e deixou claro o quão importante era ter uma trilha sonora.

Músicas nos animes têm as mais diversas funções e podemos categorizar em duas, elas servem para relaxar como quando na introdução da obra algo animado toca para deixar com que toda a explicação seja absorvida (Made in Abyss fez isso) ou ela toca para complementar algum sentimento e comunicar a cena toda de modo marcante na nossa memória, Amanchu fez isto por músicas instrumentais e raramente por vocal.
Ainda a série também não se esqueceu dos seus próprios devaneios e fez piadas durante o mergulho mais brilhante que já vi, vale dizer que cores não tem a mesma importância que contraste por mais que gostamos dos significados nelas os nossos olhos captam muito mais luzes do que cor por isso é inteligente a cena aproveitar se desse detalhe num jogo de claro e escuro.

Terminando com a Teko finalmente sendo a mergulhadora que havia prometido, ou no caso undine (tradução sereia) o mesmo termo usado pelas garotas em Aria, e quase nos últimos momentos que é possível entender o motivo do episódio 11 trazer o evento de começo de ano.
A ordem foi invertida, ensinaram o que acontece no fim antes de terminar, o anime tentou vangloriar a cultura japonesa de renovação presente em diversos atos, não é somente a ida ao templo, o mais comum é a limpeza da casa para tirar todo aqueles sentimentos antigos, no caso Amanchu houve a queimada na montanha.

Em resumo esse foi o melhor final superando o da primeira temporada e entregando exatamente tudo o que prometia. Com isso mais um ano para elas começa e nós ficamos esperando por mais temporadas ou OVAs que se vieram serão muito bem-vindas e talvez tenha mais análises.

A Review completa da segunda temporada sai nesta semana.
***

Extra:

Essa frase resume bem tudo:
Tradução: "Alegria para Todos, Todos pela Alegria! E assim continua...
Durante o mergulho noturno toca uma música provavelmente do Gontiti responsável por todas as músicas em Amanchu!, ele tem estilo similar ao Choro Club que fez somente duas participações em Animes (Yokohama Kaidashi Kikou e na série Aria), aproposito Gontiti também trabalhou em Yokohama Kaidashi Kikou:


Bottom Ad [Post Page]