Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Entrevista com o diretor e TsuruneEntrevistasTsurune

Tsurune | Entrevista com o Diretor Takuya Yamamura

Essa é uma tradução de uma entrevista do diretor Takuya Yamamura de Tsurune.


----Por-favor nos conte suas impressões sobre o material original

Takuya: A autora, Kotoko Ayano, pratica tiro com arco japonês sozinha, assim a descrição desse esporte é muito profunda. Há vários detalhes, como a diferença do tiro com arco japonês ser considerado uma arte marcial, e os tipos de arqueiros japonês que você encontrar nos clubes das escolas e nas competições. Realmente senti o quanto ela era sincera em mostrar os garotos e como eles se empenharem no tiro com arco e o sentimento.

----Há algum elemento em que você tenha focado mais na adaptação do anime?

Takuya: De preferência, gostaria de evitar explicações longas sobre o esporte o máximo possível – caso contrário seria um livro. O que nós realmente gostamos sobre o material original foram os sentimentos dos garotos e como os corações dele batiam durante cada tiro. Dependendo das emoções, o resultado poderia mudar também, então mais que as particularidades do esporte japonês, queríamos focar na exibição dos sentimentos e suas sutilizas de maneira cuidadosa.

--Você planeja incluir muitos monólogos na adaptação?

Takuya:  Gostaria de incluir eles onde for possível. No entanto, acho que o charme do tiro com arco reside na sua “tranquilidade” e “fluidez”. O modo deles puxarem o arco completa o silencio, e o movimento suave quando ele libera a flecha. Eu queria fazer o meu melhor para destacar esta beleza.

---Você tem algum passado com tiros de arco?

Takuya: Meu conhecimento era muito limitado ao que tinha visto em notícias e televisão, então não estava familiarizado. Porém, fui parte do clube de Kendo na escola, do qual é motivo de eu ter uma ideia das normas e etiqueta de ambas as artes marciais.

---Sobre o tiro de arco, há alguma descoberta que você tenha feito, ou coisas que te surpreenderam enquanto você trabalhava em Tsurune?

Takuya: Encontrei uma coleção sobre torneios, e quando vi uma partida pela primeira vez lá, fiquei surpreso por como era tudo quieto! Não tem torcidas, e o único momento quando eles falam é quando a flecha acerta o alvo. Há também o “kaichuu” (quando todas as quatro flechas acertam o alvo), e também é o momento dos aplausos de todos, sejam eles do seu próprio clube ou seus oponentes. Quando assisti percebi uma competição que valoriza cortesia com os outros arqueiros.
---Eu acredito que o uniforme do tiro com arco é muito bem conhecido no mundo dos mangás e ilustrações. O que você, diretor Yamamura, considera ser especial na vesitmenta?

Takuya: É uma vestimenta formal reservada para os competidores e se destaca dos outros, então provavelmente aquele sentimento de determinação, eu suponho. Acredito que a tradição japonesa é muito atraente. Apenas por vestir aqueles trajes, você acaba se sentindo mais tenso, em um bom sentido.

---Por favor nos de uma visão aprofundada da produção. Como é trabalhar com a roteirista Michiko Yokote?

Takuya: Yokote-san é um tipo de pessoa que coloca muito pensamento nos personagens e o como eles se sente em certo momentos. Durante as reuniões, percebi que ela se aproximou muito dos garotos enquanto trabalhávamos nos cenários. Os personagens nesta light novel são realmente inocentes e agem normalmente, verdadeiros estudantes, então conversei com ela sobre o que gostaria de tratar daquele aspecto no anime também.

---Eu fiquei bem surpreso pelo“Tsurune” (barulho da corda do arco), que também é o título dessa obra. É muito mais profundo do que eu imaginava.

Takuya: É um som bem alto, não é? Ele me dá a impressão de ser um som que atravessa todo o local e ressoa em absoluto silencio. Dependendo do modo que você solta o arco, o som será totalmente diferente, e dependo da sua condição mental e física, há momentos que não ressoará. E ninguém nunca produz um som idêntico, então, com isso em mente, nós fomos para clubes nas escolas e até arqueiros profissionais para gravar os sons.

---Quais temas você tinha em mente na produção das músicas?

Takuya: Eu disse a compositora Harumi Fuuki-san que o tema é “A batalha dos adolescentes”. Deixei ela saber que queria enfatizar o coração dos garotos e emoções, que eles ficavam sentidos quando atiravam as flechas. Também, a escola é chamada “Kazemai”, assim eu tive a imagem nova na minha mente. A música no PV era apenas aquilo, não é? Ela compôs tal música serena e bonita que me deixou muito animado enquanto trabalhava no PV.

---Por favor, nos conte, por quais aspectos visuais você estava mais entusiasmado? Eu acredito que a ambientação ao redor dos garotos era o foco principal e em particular ficou ótimo.

Takuya: A character design Miku Kadowaki-san desenhou com o tema sendo “no caminho para a casa depois da escola”. Eu discuti com ela que os telespectadores deveriam ter a ideia sobre a relação dos garotos até mesmo quando algo fosse mundano como voltar para casa, e dei a ela um rascunho. Eu dei muita atenção ao equipamento usado e luva dos arqueiros. Também me atentei ao comportamento da luz.

--O cenário é muito bonito também!!

Takuya: Eu disse a diretora de artes Shouko Ochiai-san que queria um ambiente agradável ao entardecer e que gostaria de dar à luz caindo a noite um sentimento de sonho, e ela fez um trabalho esplendido! Eu também gostaria de dar atenção a cada raio de luz sobre cada folha caindo.
--Você pediu algo em específico para a Kadowaki-san nos character designs?

Takuya: Informei que eu queria dar muita importância na silhueta, então eu pedi a ela que reduzisse de modo geral o número de linhas. Disse a ela que a minha visão para eles era de “inocência” e “simplicidade”. Visto que eu já tinha essa visão clara desde o começo, não existia muito o que mudar, na verdade. Houveram apenas pequenas coisas a mexer, como fazer o cabelo mais curto ou comprido, e assim por diante.

--Gostaria de perguntar sobre o personagem principal. Por-favor nos conte suas impressões sobre ele e o que você gostaria de enfatizar enquanto o produziu.

Takuya: Minato podia aparecer hesitante e quieto no primeiro instante, mas ele é o tipo de garoto que fala sua mente e pode confrontar os outros. Eu gostaria de mostrar ele como alguém que obviamente está passando pela puberdade e fazer ele aparecer mais como um estudante real. Também, queria uma face mais expositiva para ele. Eu pedi a Kadowaki-san que desse a ele um rosto bonito que fizesse você querer tocar. (risos)

---E sobre Seiya e Ryouhei, amigos de infância de Minato?

Takuya: Seiya é uma pessoa brilhante e usualmente calmo e reservado, mas ele perde sua compostura quando se trata do Minato – eu considero esse defeito um especial. Ele realmente faz você se questionar o porquê ele faz certas coisas apesar de ser esperto! Para o Ryouhei, ele é o sol da escola Kazemai no clube tiro com arco. Ele é o tipo de pessoa proativa que irá rachar o seu gelo, agarrar você pela mão e te puxar com ele. Eu queria mostrar ele rindo, se preocupando e tendo muita energia.

---Por-favor nos conte algo sobre Nanao e Kaito depois.

Takuya: Nanao é meio exagerado, espalhafatoso, mas jovem. Queria mostrar esta dualidade e gatilhos dele que se alteram quando é sobre o clube de tiro com arco. Fora do grupo ele é provavelmente o mais maduro, ele tinha uma profunda compreensão de Kaito e seu ambiente. Kaito aparece intimidador e age duro, então as pessoas tendem a evitar ele. É exatamente por ele ser muito apaixonado em ser arqueiro que suas palavras e ações acabam sendo diretas, e ele recebe uma má impressão como resultado. No entanto, tudo aquilo é baseado no seu orgulho pessoal e senso, e ele não irá mudar, desde que ele os considere corretos.

---Keito é de fato apaixonado. Eu acredito que ele deveria dizer as coisas de uma forma mais indireta, embora... (risos)

Takuya: Você sabe o que ele quis dizer, você deveria, mas... (risos)

----Shuu era parte da equipe com Minato e Seya no ensino fundamental.

Takuya: Shuu é realmente o que você pode chamar de jovem lorde. No passado, ele praticava junto do Minato e via o quanto ele se sentia forte, que levava ele a acreditar que Minato era seu rival. E mesmo quando Minato se distanciou do esporte, Shuu ainda acreditava que ele poderia retornar um dia. Bem, ele retornou – não como um companheiro de equipe, mas como seu oponente embora. (risos)

---Por favor, nos conte quais relações nós deveríamos ter atenção nesta estreia.

Takuya: Definitivamente Minato e Seya. Minato tem tido sentimento de desanimo por um tempo, e mesmo embora eles sejam amigos de infância, há esta estranheza entre os dois que eu acho interessante. Seiya é atencioso com Minato e tenta não falar nada sofre aquele incidente. No lugar, ele tenta proteger Minato e remover qualquer obstáculo no seu caminho, mas Minato não entende muito bem. Esta relação ligeiramente estranha é algo que considero importante.
---Qual era o seu critério quando você decidiu as vozes deles?

Takuya: Nós tivemos um ensaio/audição com relativamente novos atores e decidimos as vozes assim. Minha imagem para o Minato era de uma voz suave e com força latente, e quando Yuutu Uemura-san tinha iniciado testes para outros papéis, percebi que ele se encaixava nessas minhas expectativas, então pedi a ele que assumisse o papel. Para Seiya, estava procurando alguém que pudesse atuar nas frases “suaves/leves” como nas mais “pesadas e densas”. A voz do Ryouhei necessitava ser alegre, mas também com um pouco de hesitação. Eu escolhi alguém onde a voz soasse com sinceridade para te convencer.

---Nanao é exagerado, mas ele parece ser relativamente bonitinho.

Takuya: Exatamente. Isto é o porquê era tão complicado encontrar uma voz para ele, visto a necessidade de ser nem muito acentuada e nem muito grossa. E por que eu tinha ambas as imagens de garoto que usualmente cumprimenta todos com olhos bem sérios, e de alguém que observa de perto o ambiente e é maduro o suficiente para estar em sintonia com ele mesmo. Basicamente, estava procurando por uma voz que poderia dar um gentil impulso. Para o Kaito, era importante para mim escolher uma voz que não fosse apenas brava quando ele expressava suas opiniões, mas um tipo gentil de voz onde você podia sentir que ele tinha consideração e atenção.

---O que você considera como o mais importante quando exibe os personagens, diretor Yamamura? Eu tenho sentido uma firmeza na demonstração das emoções pelos olhares ou movimentos dos olhos em todos os trabalhos onde você serviu como um diretor de episódio ou mais.

Takuya: Para mim, é a expressão facial e a reação. Eu quero destacar as reações dos personagens sejam elas triviais ou surpreendentes, é provavelmente o motivo de eu terminar colocando muito esforço nas expressões faciais e na apresentação dos olhos. O motivo acredito ser porque é mais fácil saber o que alguém está sentido no momento pela expressão que eles fazem e pelos olhos. Em Tsurune, estou pondo muitos esforços nos sentimentos do Minato e companhia e na linguagem corporal. Incluindo vários pequenos gestos, desejo tornar mais fácil de se entender o que os garotos estão sentido em um particular cena.
***

Bottom Ad [Post Page]