Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Carole & TuesdayPrimeiras ImpressõesPrimeiras Impressões Carole & TuesdayShinichiro Watanabe

Carole & Tuesday | Primeiras Impressões

Uma "produção original de anime de Shinichiro Watanabe", o diretor de Cowboy Bebop e Samurai Champloo. Essa frase por si só já vende isto aqui, e por uma boa razão - Watanabe simplesmente não faz coisas "puramente" ruins. Sim, eu não sou um grande admirador de Zankyou no Terror - mas mesmo as suas obras com uma recepção mais mista, como esta, Zankyou no Terror, no mínimo demonstram seu domínio de direção e design de som, e sua tendência por filtrar suas histórias através de um tom exclusivamente influenciado pelo ocidente. E eu colocaria que Carole & Tuesday não quebra esta corrente.

Como eu falei no meu ensaio sobre Watanabe - uma de suas maiores forças é a de identificar talentos. E ele certamente fez isso aqui, com grandes animadores como Ito Yoshiyuki e Thomas Romain e o diretor de arte Konou Ryou envolvidos. E ainda, sobre isso, algumas aparições como Takashi Mitani - um dos notáveis talentos animação de FX. Ironicamente, a série está rodando como um exclusivo da Netflix no Japão pelos próximos três meses, o que significa que não haverá opções legais para o que parece ser o principal público-alvo até depois que a série tenha terminado. Por outro lado, estou muito feliz por ver Watanabe ter um compromisso de 24 episódios. 
A música significa muito para Watanabe e ele claramente ataca este amor em Carole & Tuesday, tornando o principal elemento temático do projeto, de uma forma claramente mais incisiva e até mais pessoal do que em Sakamichi no Apollon. Onde Sakamichi no Apollon abordou como a música transformou a vida individual de Kaoru Nishimi e Sentarou Kawabuchi, Carole & Tuesday parece buscar algo significativamente mais amplo, muito parecido com as suas duas estrelas, Carole e Tuesday: evitando o algoritmo e a ideia do que a música (ou a arte) poder ser. 

Qualquer artista, músico ou talvez qualquer artista que tenha sido informado que se eles realmente quisessem fazer algo útil, eles deveriam entrar em um campo STEM, talvez queira prestar atenção ao que esta série terá a dizer. Não há uma correlação direta entre Carole & Tuesday e, por exemplo, a discussão atual sobre como o Spotify paga artistas, mas este último é difícil de deixar de lado em sua mente enquanto assiste, se você souber alguma coisa sobre isso. 

Outros comentários parecem que podem ser encontrados em detalhes ambientais. Carole é a única pessoa na estrada fora de um exército de veículos autônomos. Há algumas mensagens interessantes e “inspiradoras” por trás da Tuesday, quando ela chega na cidade e prontamente tem sua bagagem roubada. A arte ainda existe neste mundo, mas essa arte é mercantilizada e produzida de acordo com uma suposição de gostos sem a contribuição humana no processo criativo. Isso é exemplificado ainda mais pelo produtor musical Tao, que conta à estrela infantil Angela que ela é a primeira “musicista” não-AI com quem ele trabalha, e que ela terá que se tornar sua marionete, sugerindo que há pouco processo criativo envolvido em tudo.
No entanto, essas duas jovens mulheres não estão criando música com o objetivo de usar o algoritmo, atacar a sociedade ou qualquer outra coisa além de se expressar como pessoas. A outra bagagem só vem com esse território criativo porque o ato de fazer música com suas próprias mãos, completamente organicamente, é um ato de desafio devido à ordem social, especialmente para Carole, que diz que já sabe que ninguém vai ouvir alguém como ela.

Um dos momentos mais interessantes, aparentemente descartáveis, em Carole & Tuesday, é quando Carole publica sua primeira selfie no Instagram (inalterada para uma marca com o mesmo nome, que é impressionante por si só quando você pensa sobre isso e também tematicamente relevante). A câmera depois amplia sua linha de estatísticas: zero seguidores, zero curtidas. 

A selfie e acompanhando, “Yay” é uma recriação posada de suas reações orgânicas e emocionalmente carregadas a sua primeira jam session, dueto de improviso, onde ambas, Carole e Tuesday, se aquecendo no crepúsculo de criar sua primeira música juntas, dão um high five através do quarto com um alto, "Yay!". Isso acontece longe de tudo, menos da câmera da série. Naturalmente, a recreação para o social não terá o mesmo impacto que o original. Há também a conta carole_and_tuesday no mundo real que publica as mesmas imagens mostradas na série. A mídia social é uma faca de dois gumes, pois permite que artistas menores ganhem tração organicamente. Muitos artistas despretensiosos foram virais on-line e, posteriormente, transformaram isso em uma carreira legítima (ou uma maravilha de um hit, no mínimo). No entanto, a maioria das plataformas de mídia social também estão cada vez mais inclinadas para aqueles que têm mais dinheiro e recursos. A ligeiramente futurista Marte, onde Carole e Tuesday estão tentando criar música juntas e lançá-la no éter, é o lar de um mundo onde algoritmos de computador, como os usados nas atuais plataformas de mídias sociais, assumiram, curando e distribuindo o que parece ser "melhor" (ou talvez simplesmente o que é mais lucrativo). Esta não é uma história nova - o dinheiro dominou a produção musical durante anos -, mas o detalhe adicional de que o entretenimento não é proibido, mas controlado pela tecnologia, é um tema interessante e oportuno.
O show abre com planos de uma luz noturna iluminada por um letreiro neon, implicando uma coesão de tom e visão que nunca deixa de funcionar. Desde o primeiro minuto, cuja iluminação quente transmitem perfeitamente a sensação de um lugar de clima a beira do deserto, nos movemos para um apartamento onde nossas heroínas fazem um dueto, em uma cena cuja intimidade é igualmente bem captada através de grandes storyboards e design de som preciso. Dado quem é o showrunner, esta estreia e que temos dois cours, minhas expectativas estão bastantes altas aqui. 
Avaliação:      
***

Bottom Ad [Post Page]