Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Análise Semanalanálise semanal Sarazanmairesenharesenha críticaSarazanmai

Sarazanmai #02 | Análise Semanal

O segundo episódio de Sarazanmai esclareceu muitas das principais variáveis ​​e a estrutura geral do programa, além de deixar muitos mistérios apostos para serem revelados; basicamente é um episodio que define a base para os eventos que veremos na primeira metade do show. E este episodio ainda me serve para receber alguns lembretes, como o fato de que as séries de Ikuhara nunca parecem que eles suavizaram todas as partes ásperas para atrair um público mais amplo possível (apesar de eu sentir essa como talvez a obra mais suave de seu catalogo).
As coisas que fazemos por amor; aqui vemos este dilema repetido com múltiplos pares de personagens. E a pergunta que Sarazanmai parece colocar no fim é se os sacrifícios feitos valem a pena, ou até mesmo os sacrifícios que devem ser feitos sobre os outros. Penguindrum, Utena e Yuri Kuma Arashi lidaram com mal-entendidos fundamentais em nome da pessoa que faz o sacrifício sobre o que seu irmão/amante/pessoa especial gostaria de realmente ter, em primeiro lugar. Espero que Sarazanmai não seja diferente. O título do episódio está diretamente relacionado a isso: "Quero me conectar, mas quero roubar".

A devoção de Kazuki ao seu irmão mais novo, Haruka, é óbvia e um destaque deste episódio. Ambas as cenas de vazamento de sarazanmai (ep 1 e 2) envolveram as grandes provações que Kazuki passa para capturar essas selfies da sorte e continuar fingindo ser Sara pelo bem de Haruka. Provavelmente há algo mais em jogo do que simplesmente deixar Haruka feliz. Independentemente disso, neste episódio vemos que Kazuki não tem problemas em roubar o gato de alguém do seu quintal - toda esta configuração foi uma reminiscência de um dos um dos episódios destaques de Ikuhara da primeira temporada de Sailor Moon envolvendo um gato - para mostrar a Haruka, e isso é antes mesmo de Sara anunciar "gato" como seu item de sorte.

Enquanto ele ainda não está no nível de Toi de quebrar a lei - afogando pessoas, executando os negócios da erva - o roubo de gatos poderia facilmente ser uma ladeira escorregadia para Kazuki, especialmente desde que ele roubou há pouco (ou repetidamente rouba) para que Haruka pudesse ter um animal de estimação. O sentimento de que ele estaria disposto a fazer qualquer coisa por Haruka é, na verdade, o que o aproxima do delinquente Toi e o afasta de Enta; embora Enta empurre sua própria borda ao empurrar um beijo em Sara (/Kazuki).
Há também a questão do próprio Kazuki, e seu evento de mudança de vida (sobre Sara) que foi mostrado no frio aberto do primeiro episódio. Sarazanmai coloca a questão não apenas do que aconteceu com Kazuki, mas se ele está mesmo “vivo”. Esse episódio levantou mais suspeitas ao mostrar a interação de Kazuki com seus pais depois que Haruka se dirigiu especificamente a ele. Sabemos que Kazuki pode interagir diretamente com Toi e Enta, mas dada a sua recente e repentina partida do clube de futebol, sua experiência de quase morte do sinal quase caindo sobre ele e interações estranhas, é algo para manter se manter de olho. Realmente não gosto de fazer um post sobre "teorias Sarazanmai", então vamos pular essas coisas.  

Nos voltando ao nosso outro par, parece haver uma dinâmica similar entre os "policiais" Reo e Mabu, embora seja uma conexão romântica/sexual e não familiar. No final de seu número musical que transforma um criminoso gato no monstro kappa zombie gato desta semana, Reo tira o coração de Mabu em uma cena muito familiar para quem viu Utena Tenjou e Anthy Himemiya de Utena, ou Kanba e Himari Takakura de Penguindrum. Eles estão compartilhando algo naquele momento, o que certamente funciona como um eufemismo para o sexo, mas também uma conexão profunda e duradoura entre os dois. Ele insinua que há muito pouco (ou nada) que Reo e Mabu não fariam pelo bem uns dos outros, e isso inclui transformar outras pessoas em zumbis em benefício próprio (presumivelmente depois de assassiná-los).
Mas quando eu penso sobre este episódio, não será a narrativa lentamente desdobramento que eu vou lembrar mais. O que vai deixar a maior impressão é o quão engraçado o nonsense que foi tudo junto, além de uma certa cena que todos vão falar depois desse episódio. A dança de nosso par Reo e Mabu é perfeitamente definida como: uma sequência selvagem. É também uma sequência muito Kaneko

Tudo nessa sequencia foi conceituado por Shingo Kaneko (que você pode se lembrar como o co-escritor, storyboarder e diretor do décimo sexto episódio de Mawaru Penguindrum), desde a dança com tema de fábrica até o plano literal de Utena no final. Ao entregar-lhe o episódio parece ter sido uma decisão baseada na compatibilidade com suas sensibilidades cômicas, essa cena especial em particular parece mais uma questão de confiança; poucas pessoas têm a mesma probabilidade de entender exatamente o que Ikuhara quer do que alguém que foi seu aluno por 20 anos, então se ele não fosse o único a lidar com isso, Kaneko sendo nomeado parece uma escolha sensata. 

E colocando as coisas em pratica temos o animador Shingo Fuji. Estes tem sido bons dias para os fãs de Fujii, porque alguns dos trabalhos que ele fez há muito tempo atrás foram divulgados em poucos dias um após o outro. Fuji sempre teve o dom de conceituar espaços tridimensionais em animação 2D, por causa disso, ele tem sido um ativo altamente considerado quando se trata de ação com trabalho de câmera envolvido, mudanças de perspectiva complicadas que exigem um cérebro de um computador e, claro, dança! E ele faz isso aqui, e, caramba... 
No fim, parece que a maioria dos episódios de Sarazanmai contará com seu próprio kappa zombie - um clássico monstro da semana - e a bela sequência de animação de luta e vitória do primeiro episódio será essencialmente a versão deste programa de uma sequencia de transformação arquivada. Em termos estruturais, isso realmente parece a produção de Ikuhara mais rígida e amigável ao gênero desde Utena. Por outro lado, tudo o que veio antes e depois dessa seqüência de luta fez um ótimo trabalho ao construir Kazuki e Toi como protagonistas simpáticos e multifacetados. As sequências de Kazuki com seu irmão mais novo basearam seus objetivos em sentimentos claros e tangíveis, enquanto as breves cenas de Toi com seu próprio irmão ofereceram um ponto de apoio simpático e também algumas dicas de como ele chegou ao seu estado atual. 

Após cada uma dessas sequências, “Toi e Kazuki perseguem um gato em uma data falsa” permitiram que Ikuhara, mais especificamente Kaneko, se envolvesse alegremente em sua comédia consistentemente forte, e o episódio como um todo serviu como uma clara ilustração da contradição inerente à sua premissa. O diretor do episodio, Shingo Kaneko, ganhou sua reputação como chefe de comédia de Ikuhara, e isso é algo que o próprio homem [Ikuhara] conhece melhor do que ninguém. Daí sua aparição aqui, em um episódio gloriosamente tolo que envolve tráfico de drogas e crimes com gatos. Embora ele não levasse o clássico imaginário de shoujo a episódios icônicos como Penguindrum #04, o ridículo inerente do casal (desculpe Enta) perseguindo o ladrão de ervas significava que bastaram alguns ajustes na arte e um divertido storyboard para tornar toda a provação muito engraçada. 

“Quero me conectar, mas quero roubar” foi mais diretamente enfatizado através da revelação de que Kazuki roubou o gato que agora é seu, o que pareceu um reconhecimento de que, para exercer nossa vontade no mundo ou mesmo nos conectar com outros, devemos necessariamente contradizer os desejos dos outros, provocando fricção e ressentimento, mesmo através de nossos esforços para nos aproximarmos. Como falei no começo, o cânone de Ikuhara lidou com mal-entendidos fundamentais - Utena sempre fazendo “o que é melhor para Anthy” de acordo com o que ela acha que é o melhor, é um desses registros. Ainda estamos muito adiantados para ver exatamente aonde Ikuhara está indo com tudo isso, mas entre as caixas da Amazon, o foco no desempenho das mídias sociais e a ênfase desse episódio em dar e receber, há uma linha clara na natureza transacional da conexão moderna que estou muito animado para seguir.
Avaliação:      ★(++++)
***

Bottom Ad [Post Page]