Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

GranbelmPrimeiras ImpressõesPrimeiras Impressões Granbelm

Granbelm | Primeiras Impressões Julho 2019

Esta temporada realmente parece se moldar para ser uma exposição dramática para jovens diretores. De Fire Force a Astra. Granbelm chega reunindo a estrela em ascensão Masaharu Watanabe, com o designer de personagens Re: Zero, Shinichirou Ootsuke, para uma produção original em anime. Masaharu Watanabe era conhecido como um diretor treinado na Kyoto Animation com uma grande compreensão do espaço entre outras qualidades, e um dos o ases da animação de Naruto no passado. Depois de conseguir um hit tão grande quanto Re: Zero, no entanto, esse se tornou o título que você sempre ouviria em relação ao nome dele. E para ser perfeitamente justo, isso também é tudo o que ele fez nos últimos anos. 

Com certeza isso isso não é tudo o que houve para o seu desaparecimento, mas há a existência de Granbelm. Em algum piscar de segundos já somos apresentados a nossa protagonista, Mangetsu. Ela é uma estudante do ensino médio que se vê teleportada para um outro mundo. Teleportando-se para o meio de uma violenta batalha de robôs, ela é salva apenas quando um dos pilotos dos robôs, Fukami Shingetsu, decide protegê-la. Fukami rapidamente passa por uma história complicada sobre a natureza histórica da magia, antes de quebrar as coisas realmente importantes: garotas mágicas, super robôs, battle royale, luta. Granbelm não é particularmente tímido sobre suas principais influências; partes significativas da narrativa e da iconografia visual deste episódio parecem ecoar Madoka Magica, enquanto o conceito geral do programa se assemelha a Fate/stay e seu drama se parece um pouco com Wixoss. Mas a novidade narrativa é muito menos importante do que a execução realizada, e Granbelm oferece uma estréia enérgica, visualmente sedutora e surpreendentemente charmosa.

Eu estou de olho em Watanabe desde o seus desempenhos visualmente impressionantes em  Re: Zero, e os vestígios estão expostosO gosto por tons azuis profundos e violetas que Watanabe demonstrou em Re: Zero parece também informar a paleta de cores de Granbelm, resultando em um mundo maravilhoso que naturalmente facilita a natureza onírica de sua premissa. A animação do show também é bastante fluida, com suas principais cenas de luta apresentando excelentes efeitos de animação, bem como algumas grandes coreografias de combate para seus robôs tradicionalmente animados. O design de som de Granbelm também é digno de nota, embora possa ser um recurso mais polarizador; senti que o movimento e o ruído desses robôs em movimento faziam um ótimo trabalho ao transmitir a escala de seus movimentos, mas o efeito também poderia ser considerado um toque arrogante. Os desenhos dos robôs também são bastante singulares e atraentes, embora eu não tenha certeza se concorde com a escolha de dar a todos eles corpos corpulentos. Por fim, de ponto negativo, este episódio foi um pouco prejudicado por sua exposição complicada, e nada sobre sua narrativa até agora demonstrou muito de personagens distintivos. Kohanata e Fukami são arquétipos familiares de personagens, mas ainda não são pessoas. Encorpar essas linhas é uma de suas urgências, mas ainda foi uma boa estreia. 
Avaliação:     ★ (++++)
***

Bottom Ad [Post Page]