Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Análise Semanalanálise semanal Eizouken ni wa Te wo Dasu na!resenharesenha crítica

Eizouken ni wa Te wo Dasu na! #12 | Análise Semanal

Abrimos com o grande problema na trilha do ultimo episodio. Mizusaki mais do que qualquer uma está implodindo com a possibilidade do projeto ser entregue com uma trilha tão dissonante - afinal, ela pensou sua intricada animação cronometrada especificamente para a músicaNinguém nesse projeto pode estar tão frustrado quanto ela em perder a trilha. Mas como Kanamori explica, o projeto precisa ser finalizado e elas têm um pouco mais de 1 hora. Este é o equivalente a um estúdio lutando para terminar o episódio mais recente de uma série de anime de TV tarde da noite, entregando-o momentos antes de ir ao ar. Anime é difícil, e Eizouken quer fazer jus a essas dores. 

A fornecedora que está cuidando dos DVDs deste projeto realmente não tem nenhum motivo para mudar sua agenda a fim de acomodar as necessidades do Eizouken apenas por diversão. Dado o impacto em seus outros trabalhos, Kanamori apenas educadamente anula o contrato; na esperança de trabalharem juntos novamente algum dia - mesmo com seu comportamento, ela é uma produtora boa o suficiente para saber que não deve queimar pontes. Kanamori é tão essencial. De novo e de novo, ela aceita as queixas de "mas eu não quero" dos criativos gananciosos, a fim de fazer os projetos funcionarem.    

Todos só podem esperar que sua diretora resolva as coisas. E, obviamente, a solução de Asakusa para tudo isso é apenas mudar a história e a animação para se adequar à música que elas têm. Elas só precisam fazer mais dois novos cortes e podem liberar as animação da festa de Mizusaki como um conteúdo bônus. Eizouken faz ressoar em cada canto de sua produção a maior verdade pragmática da produção de anime - suas configurações geralmente são limitadas não pela sua imaginação de seus artistas, mas pela falta de tempo e orçamento. Anime de televisão é um sonho que não faz sentido e nunca deveria funcionar, que, de varias maneiras não funciona - Tezuka cortou os custos em um nível inviável além de sua redução de desenhos a um nível impensável para animação. Hoje, tragicamente, a indústria ainda é definida pela barganha faustiana de Tezuka e só pode se sustentar através do pagamento insuficiente sistêmico de animadores.
A forma como é ilustrada os pensamentos de Asakusa de sua nova conclusão é poderoso de forma que apenas Eizouken consegue administrar - ela está andando em um barco roxo por um oceano de questões pessoais deprimentes, frases como "mídias sociais" "pais monstros" "assédio sexual" e "morte por excesso de trabalho", formando um oceano raivoso que ela tentar navegar enquanto explica seu novo conceito. Seja lá o que ela tenha criado, é convincente o suficiente para Kanamori e Tsubame enviarem nossos artistas á batalha. Atuação de personagem fenomenal através desta sequência delas correndo. 

Recebemos algumas inventivas vinhetas pela trabalho árduo até altas horas da noite de nossos heróis trabalhando, atirando em todos os cilindros - o logotipo do Eizouken está louco girando e brilhando. Elas estão no máximo agora - Kanamori acima de tudo, que literalmente passa a sua motosserra de estimação na porta do clube que administra as copias dos DVDs, para dizer que eles terão tudo pronto a tempo. Washio faz um ótimo trabalho aqui na animação de efeitos e na atuação de Kanamori. O design de Kanamori combina muito bem com sua personalidade. A altura dela significa que ela está literalmente dominando as outras pessoas por padrão e, quando ela chuta a porta aqui seu corpo relaxa e você pode ver sua postura desdenhosa/dominante.  
Chegamos a Cometa-A, um espaço de exibição para criadores originais que estão lutando desesperadamente para atrair atenção para suas idéias, videogames e animes caseiro. Asakusa é atacada por uma crise existencial questionando o ato de vender sua arte.  Como artista, Asakusa simplesmente não esta interessada nessa parte do processo. Isso é tão relacionável entre a maioria dos criativos. Uma coisa é criar sua arte e obter feedback positivo das pessoas que você conhece e ama, e validação de públicos agradecidos, mas empurrar as pessoas a isso é chato e parece vazio. 

Os truques de Kanamori para vender os DVDs funcionam perfeitamente em todas as suas extensões e, de repente, elas estão esgotadas. Mas Asakusa percebe que ainda nem viu sua própria animação por completo - deus, esse anime é incansável em encanar todas a experiencia da criação de arte - então a equipe se reúne em seu apartamento para festejar com lanches enquanto assistem seu projeto. Asakusa e seu coelho em um cobertor quente estão prontos para ver isso! É tão adorável... Ela está claramente no seu lugar favorito.

O curta é maravilhosamente animado (BAHI JD ESTAVA FAZENDO ANIMAÇÃO) e não parece comprometido mesmo com o novo final. A estrutura básica da história que esperávamos ainda está lá, mas foi reorganizada um pouco para atender às necessidades das outras pessoas com quem elas tiveram que trabalhar. As mudanças de Asakusa refletem as verdades de como todos os seres vivos geralmente agem mais por seu próprio interesse, e mesmo em tempos de paz, eles vão argumentar por seu próprio aperfeiçoamento, seus próprios recursos, ao invés do alto ideal de perfeita convivência. Era uma peça tocante, um pouco abstrata e profundamente cativante e visualmente deslumbrante, feita para as pessoas que moram nesta cidade. Os habitantes locais que o compraram tiveram suas imaginações inflamadas, visualizando os conceitos de fantasia sobre Shibahama, vendo a paixão de Asakusa ganhar vida diante de seus olhos depois de experimentar a arte de sua equipe. Como artista, é exatamente o que você aspira. E, é claro, para as pessoas que o criaram, a criação final ainda tem falhas e erros para corrigir. Essa também é a vida criativa! 
Caro senhor, esse episódio final foi muito bom! Contando com estrondosas animações de efeitos durante toda a luta das naves, juntamente com algumas excelentes opções de layout enquadrando toda a luta de forma aérea em uma grande angular. E o trabalho de cores soltas e saturadas era ótimo.  Realmente eu não consigo me lembrar de ter visto um show mergulhar tão profundamente nos detalhes minuciosos de uma forma de arte quanto Eizouken, mas os resultados desse foco são claros: os triunfos de Eizouken soam com uma satisfação que só vem da compreensão ativa de todo o trabalho realizado em suas produções. Um nível de percepção da produção que o anime, de algum forma, mantem durante 12 eps, ao mesmo tempo em que se apresenta como um drama de clube alegre e charmoso, e ao mesmo tempo oferece sequências de fantasia maravilhosamente realizadas.

Yuasa é um dos talentos mais brilhantes do meio. Mas, de fato, o que eu não esperava era que Eizouken fosse aparentemente construído especificamente para mim, como um programa especificamente sobre a alegria da criação artística, que captura simultaneamente a experiência emocional do ensino médio com franqueza e vitalidade, como poucas coisas no meio. Foi emocionante ver Yuasa emprestando seu domínio a esse gênero frequentemente subestimado. Semana após semana, cada novo episódio foi deslumbrado com novas maravilhas visuais, à medida que as fantasias de suas jovens criadoras de anime ganhavam vida, ilustrando a complexidade e a emoção de criar arte o tempo todo. Eu nem sei. Em uma indústria definida por limites tão severos, como pode existir algo tão bom quanto Eizouken? É um daqueles raros programas que me lembram o quão poderoso esse meio pode realmente ser, de "porque anime?". Sinto muita sorte em assistir - mas é claro que a sorte não tem absolutamente nada a ver com isso. 
Nota Final: 10 (Obra-prima)
***

Bottom Ad [Post Page]