Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Entrevista com o Diretor de Pokemon: Twilight Wings, Shingo Yamashita | Parte 2 de 2

Olá pessoal, voltamos com a segunda parte da entrevista com um dos gênios da animação moderna Shingo Yamashitapublicada originalmente na edição de setembro de 2020 da revista Weekly FamitsuAqui está o link para a primeira parte! Espero que gostem.  

— A partir de agora, vou perguntar as “As perguntas que quero fazer para o diretor Yamashita”. Primeiro, o Raihan foi citado em um assunto anterior, mas no episódio 7, tem uma cena da entrevista que os Líderes de Ginásio  falam de Leon e ele foi o único que não apareceu. Qual seria o motivo disso?

Yamashita: Bem, o motivo disso foi para deixar os fãs do Raihan inseguros. Fazer com que eles pensem “Hm? O Raihan não vai participar?” e depois, na cena dentro do estádio, aparece ao fundo a logomarca do Ginásio de Hammerlocke. Após isso, escutamos apenas “Tá atrasado, Leon”. Pretendia que os fãs do Raihan ficassem bem empolgados de uma vez com essa cena. E pessoalmente, queria que o Raihan visse o Leon não como um campeão, mas como um rival, por isso invés da entrevista, preferi que ele falasse mais na batalha.

— Realmente, parece que ele foi “guardado” para depois e a cena da aparição do Raihan ficou mais evidente. Continuando, uma pessoa perguntou “Teve algum personagem que foi difícil de desenvolver?”.

Yamashita: Como eu disse antes, a Oleana e o Leon foram difíceis. No sentido de ter poucas informações, a Bea foi complicada também. Nós pensamos muito como seria o seu jeito de falar.
— Como foi desenvolver um personagem com poucas informações disponíveis?

Yamashita: Tentamos caçar informações de diferentes maneiras. Recebemos o roteiro do jogo pela Companhia Pokémon, informações extras de personagens e também víamos as opiniões dos fãs após o lançamento do jogo. Analisamos quais pontos o público gostava e quais considerações faziam, e assim decidíamos em que sentido iríamos seguir. Sendo sincero, todos os personagens foram difíceis (risos). Gostaria de conversar com o staff da série de tv para ver como eles fazem.

— Relacionado a isso, “Teve algum episódio que queria fazer nessa série, mas acabou não conseguindo?”

Yamashita: Se eu conseguisse criar mais um episódio, gostaria de fazer sobre o passado do Leon. Sobre a infância dele até a trajetória de virar campeão. Teria que colocar como ele conheceu a Sonia também, então talvez ela seria a protagonista.

— Vi que muitos queriam um episódio com a Sonia sendo protagonista. Além disso, tivemos muitas perguntas e comentários relacionados ao episódio 7 “Sora”. Como foi produzir as cenas de batalha?

Yamashita: Eu já fui animador, e desenhava fortes cenas de ação e batalhas. Esse é o meu ponto forte e me divirto muito produzindo. Porém, dá muito trabalho, então penso bem antes de ficar colocando essas cenas (risos).
— No entanto, não teve muitas cenas de batalhas até o episódio 7. Isso significa que você estava guardando suas forças para o final?

Yamashita: Isso mesmo. Pretendia não colocar fortes cenas de lutas no início, e deixar tudo para o final. Para os fãs que me conhecem, devem ter ficados surpresos. Eles devem ter pensado “Hm? O diretor é o Yamashita e não tem quase nada de cenas de lutas” (risos).

— Bem, pela forte cena de batalha ter sido só no episódio 7, isso foi muito comentado logo após a publicação. Como foi desenvolvida a cena de batalha?

Yamashita: Me deixou bem surpreso o fato das batalhas de Pokémons terem um significado muito importante para todos os fãs de Pokémon. Quando eu escrevo uma cena de batalha, sempre tento deixar bem perto da realidade. Por exemplo, quando o Pokémon vai usar um golpe, tento desenhar até o tremor do ar na hora em que a energia é lançada.

— Naquela cena, senti que os movimentos dos Pokémons eram muito reais. Está explicado!

Yamashita: Era isso que eu queria fazer. Adicionar o realismo nos personagens fantasiosos, como se eles existissem no mundo real. Eu almejo isso quando eu crio uma obra. Nesse sentido, eu fico feliz em ter participado dessa série. Acredito que muitas pessoas estão vendo o meu trabalho pela primeira vez com isso. Fico grato por muitas pessoas verem e avaliarem todo o meu trabalho que venho fazendo até agora.
— Muitos devem ter virado seu fã por causa de “Twilight Wings”. Tem alguma cena em específico que te marcou na cena de batalha?

Yamashita: É a cena em que o Charizard se transformou em Gigantamax. O animador responsável é um gênio, então deixei nas mãos dele, sem nem precisar fazer alterações. Quando o Charizard Gigantamax correu para frente, acabei chorando de emoção. Senti que aquele Charizard tinha uma alma, uma vibração forte. Desenhar à mão livre ainda tem suas vantagens.

— Muitos disseram que aquela cena ficou marcada na cabeça. Como é o animador responsável?

Yamashita: Ele é bem mais novo que eu. E é estrangeiro, acho que tem menos de 20 anos.

— Nossa? Ele é tão novo assim?

Yamashita: Sim, quando eu vi ele pela primeira vez, ele estava no colegial. Ele tem um talento incrível, que é como se eu estivesse vendo o Leon aos olhos do Kabu-san. Faz mais de 10 anos que eu penso em criar algo assim, e me esforcei muito, sendo que às vezes só me concentrava nisso (risos). Mas vem um garoto que consegue alcançar isso tão rápido em um lugar que eu nem cheguei ainda. As minhas lágrimas dessa cena talvez estejam relacionadas a isso.
O animador do corte e que Yamashita se refere é Weilin Zhang
As respostas às inúmeras considerações sinceras do público.

 Vários comentários disseram que o camerawork é incrível. Quais cuidados você teve com o camerawork

Yamashita: Resumindo, o cuidado que tive foi não movimentar muito rápido. O camerawork não é usado para mostrar algo, e sim, para deixar as cenas mais fascinantes. Então, me certifiquei para que a atenção não se voltasse à câmera. E também, fico preocupado se eu posso movimentar a câmera ou não. Eu quero muito focar em demonstrar movimentos reais, então não movimento a câmera do jeito que não seria possível na realidade.

 — Acredito que seja difícil você responder uma pergunta aqui, mas muitas pessoas enviaram a ponto de não poder mais ignorá-la... Muitas considerações entre o público foram feitas com o Tommy. Posso te pedir algum comentário em relação a isso?

Yamashita: Só posso dizer uma coisa. Se todos acreditam nesse fim, isso não estará errado de maneira alguma. Se todos viram e sentiram algo, isso é o certo. Acredito que todos devam acreditar naquilo que acreditam.

 Muitas perguntas vieram também relacionadas à fala “Ele não está sorrindo” do John, dizendo sobre o Leon.

Yamashita: Como eu disse antes, nós não desenvolvemos os sentimentos do Leon de forma explícita. Então, essa fala é apenas o que o John sentiu vendo o Leon. O que posso dizer é que essa fala pode estar transmitindo a peculiaridade do Leon estar sempre lutando ou a sua sinceridade extrema, mas isso são as minhas considerações. Todos são livre para imaginar, com base no que viram.
— Obrigado. E não é uma pergunta, mas muitas pessoas desejam o formato em DVD ou Blu-ray da série.

Yamashita: Eu também (risos).

 O que o “Twilight Wings” significou para você?

Yamashita: Antes disso, eu fazia trabalhos independentes, como por exemplo apenas produzir vídeo para o comercial ou só a abertura. Então, em “Twilight Wings” consegui me envolver bastante em várias coisas como na criação de personagens, falas e roteiro. Recebi muitas avaliações de muitas pessoas, então acredito que vá influenciar na minha carreira daqui para frente. E simplesmente foi a obra que mais me diverti fazendo (risos).

 Pode dizer para quem vai assistir pela primeira vez ou reassistir “Twilight Wings” quais pontos devem ser vistos com atenção?

Yamashita: Primeiro, seriam as cenas de paisagens e a música. Quando o público fica animado, elaboro para que haja nesse momento uma certa animação nas cenas também. Então, não tenho nenhuma cena específica que quero que vejam. Só quero que todos se sintam bem vendo. E na série, parece que não há tantos pontos interligados, mas a verdade é que estão escondidos. Se você chegou ao fim da série, acredito que você vai sentir a importância de cada frase ou ação revendo mais uma vez desde o começo. Veja novamente. É uma série curta, então até nos detalhes colocamos uma certa importância. Ficaria feliz se vissem cada detalhe com atenção.

— E por fim, uma mensagem para os fãs de “Pokémon Sword e Shield”.

Yamashita: Na série estão muitas características e personalidades que não estão no jogo. Espero que ela te ajude a entender melhor seu personagem favorito e o mundo do jogo. Se você gostou do mundo em que o jogo se passa, peço para assistir a série uma vez. Acredito que você vai se divertir vendo. Muito obrigado.  

ALMEJO CRIAR OBRAS EM QUE OS PERSONAGENS PAREÇAM REAIS

Bottom Ad [Post Page]